Gregorio Borgia/AP
Gregorio Borgia/AP

Roma bate o Napoli, continua 100% e dispara na liderança do Italiano

Feito inédito em sua história faz equipe abrir cinco pontos de vantagem para o rival da partida desta sexta

AE, Agência Estado

18 de outubro de 2013 | 17h58

ROMA - A Roma continua imbatível, como nunca aconteceu em sua história, no Campeonato Italiano. Nesta sexta-feira, no duelo pela oitava rodada entre líder e vice-líder no estádio Olímpico de Roma, a equipe da casa derrotou o Napoli por 2 a 0 e disparou na liderança da competição. Com 100% de aproveitamento, chegou aos 24 pontos e abriu cinco de vantagem para o rival napolitano, que perdeu a invencibilidade - havia ganhado seis vezes e empatado uma.

Para seguir com folga na liderança, a Roma passará o final de semana torcendo contra as rivais. A mais próxima é a Juventus, que tem a mesma pontuação do Napoli, mas perde no saldo de gols (12 a 8). Neste domingo, a equipe de Turim terá um difícil desafio contra a Fiorentina, sexta colocada com 12 pontos, em Florença. Já a Internazionale, quarta com 14, enfrenta o Torino fora de casa.

Com três jogadores brasileiros no setor defensivo - o veterano lateral-direito Maicon, o zagueiro Leandro Castán e o lateral-esquerdo Dodô (estes dois últimos ex-Corinthians) -, a Roma tem a defesa menos vazada do Campeonato Italiano. Só levou um gol em oito partidas e nesta sexta mostrou eficiência mais uma vez e um pouco de sorte.

No primeiro tempo, o jogo foi muito equilibrado e com muita marcação. A Roma tentava jogadas pelo meio com o capitão Totti, que se machucou e teve de ser substituído aos 32 minutos, e o Napoli explorava os contra-ataques. Em um deles, aos 34, seria mortal se o goleiro De Sanctis não impedisse com uma defesa de reflexo que seu ex-companheiro de equipe Pandev abrisse o placar.

Nos últimos minutos antes do intervalo, o time visitante mandou uma bola na trave com Insigne, mas teve de engolir a máxima do futebol de quem não faz, toma. Aos 48, em uma falta desnecessária na entrada da área, o meia bósnio Pjanic acertou o ângulo direito alto de Pepe Reina e fez a festa dos torcedores romanos.

Em desvantagem, o Napoli voltou para o segundo tempo com uma postura mais ofensiva. Criou algumas chances, especialmente em chutes de longa distância, e chegou a mandar duas bolas na trave. Mas, aos 25, o zagueiro Paolo Cannavaro cometeu pênalti em Borriello, foi expulso e deixou os napolitanos com um a menos. Pjanic cobrou com perfeição, fez 2 a 0 e garantiu mais uma vitória da Roma, também com o melhor ataque da competição (22 gols).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.