Roma chega a acordo com prefeitura para construção de seu estádio

Proposta é para que o local tenha a capacidade para 52.500 mil torcedores, com possibilidade de expansão para 60 mil em ocasiões especiais

Estadao Conteudo

25 Fevereiro 2017 | 10h42

Depois de uma longa negociação, a Roma finalmente chegou a um acordo com a prefeitura da capital italiana para a construção de um novo estádio. No fim da noite de sexta-feira, uma nova reunião entre as partes definiu um final feliz para um caso que já vinha se arrastando pelos últimos anos.

"Foi uma longa, longa jornada. Em alguns momentos, senti que era assim que acontecia com nossos ancestrais romanos em muitas batalhas. Mas o próximo passo para a nossa jornada está na nossa frente. Primeiro, e principalmente, eu quero agradecer a nossos torcedores, que são os melhores do mundo", declarou o presidente da Roma, Jim Pallotta.

O projeto para o novo estádio da Roma é antigo e a expectativa inicial era de que estivesse pronto justamente para o início desta atual temporada. Mas discordâncias entre o clube e os políticos locais adiaram a construção por diversas vezes.

No início do mês, a prefeitura local rejeitou o projeto e exigiu uma série de justificativas, que incluía problemas com a segurança das vias próximas, com os encanamentos de água do local, falta de transporte público e de espaço para construção de um estacionamento.

Os planos para o novo estádio romano já vinham sendo criticados por preverem a utilização de 200 milhões de euros (cerca de R$ 675 milhões) de verba pública, apesar do 1,6 bilhão de euros (cerca de R$ 5,4 bilhões) que viriam da iniciativa privada. Somente diante de diversas alterações, o clube convenceu a prefeitura na última sexta.

"Agradeço profundamente nossa prefeita de Roma, Virginia Raggi, o vice-prefeito, Luca Bergamo, e muitos outros governantes envolvidos neste processo", declarou Pallotta. "Esta é uma noite importante para a Roma. Estamos ansiosos para construir um estádio que o clube e a cidade possam mostrar para o mundo do futebol."

A proposta da Roma é que o estádio tenha capacidade para 52.500 mil torcedores - com possibilidade de expansão para 60 mil em ocasiões especiais - e seja construído no meio do caminho entre o centro da cidade e o Aeroporto Leonardo Da Vinci. Com isso, o Estádio Olímpico da cidade passaria a ser utilizado somente pela Lazio.

Mais conteúdo sobre:
futebol Roma

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.