Roma e Juve agitam carnaval na Itália

O carnaval na Itália é "velório", se for comparado ao que rola no Brasil. Mas a festa em Roma neste domingo à noite pode ser maior do que em muitos sambódromos. Para tanto, basta que a equipe da casa passe pela Juventus, no clássico marcado para o Estádio Olímpico e que fecha a 22ª rodada da temporada de 2001-2002.A expectativa em torno do duelo é enorme porque os romanos lideram com 44 pontos, um a mais do que os rivais de Turim. Eventual vitória deixa a atual campeã mais próxima do bicampeonato no calcio, embora a Inter (também com 43) continue a ameaçar e jogue fora de casa contra o Bologna (32 pontos).O confronto na capital tem outras atrações, além da briga pela liderança. A Roma apresenta a defesa menos vazada (14 gols sofridos), enquanto a Juventus rebate com o melhor ataque (41 gols a favor). Um dos destaques juventinos é o francês Trezeguet, líder da artilharia com 14 gols, ao lado de Di Vaio (Parma), Doni (Atalanta), Hubner (Piacenza) e Vieri (Inter). O ?matador? da Roma é o argentino Batistuta, com 6.A Roma aposta no retorno de Cafu. O lateral-direito brasileiro recuperou-se de contusão, treinou com regularidade durante a semana e tem presença praticamente confirmada. O volante Emerson é outro destaque e joga pela primeira vez contra a Juventus. Os turinenses ainda contam com a regularidade do goleiro Buffon, do lateral francês Thuram e do talento de Del Piero (dez gols até agora).A curiosidade adicional do clássico está no banco de reservas, pois Fabio Capello, hoje técnico da Roma, jogou na Juventus no fim dos anos 70. Já Carlo Ancelotti, treinador da Juve, foi campeão italiano com a Roma em 83, como jogador, junto com Paulo Roberto Falcão.DESESPERO - A luta em Venezia é pela permanência na Série A. O Venezia, lanterna da competição com 12 pontos, recebe a Fiorentina, penúltima com 17. O clube de Florença atravessa uma das piores fases de sua história e a maior parte do elenco está cobrando salários atrasados na Justiça. O presidente Cecchi Gori resiste, mas cresce o movimento na cidade para forçá-lo a vender suas ações e deixar de ser sócio majoritário. O cartola resiste.Outro clube ameaçado de rebaixamento é o Lecce, antepenúltimo colocado com 19 pontos e que recebe o Verona, 31 e em posição intermediária. O Brescia, em 15.º lugar com 22 pontos, visita a Atalanta (25), e também corre contra o tempo, pois na Itália caem os quatro últimos. O maior desfalque do Brescia é Roberto Baggio, que operou o joelho e só volta no meio do ano. A rodada será completada por Milan (33) x Perugia (26), Parma (24) x Lazio (29) e Piacenza (23) x Torino (27).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.