Ettore Ferrari/EFE
Ettore Ferrari/EFE

Roma faz 'gol relâmpago', atropela Chelsea e assume ponta do grupos

El Shaarawy abre o caminho da vitória por 3 a 0 logo aos 44 segundos do jogo

Estadão Conteúdo

31 Outubro 2017 | 20h14

A Roma fez valer com autoridade o fator campo nesta terça-feira. Apoiada pela torcida que lotou o Estádio Olímpico da capital italiana, a equipe atropelou o Chelsea com uma vitória por 3 a 0, com direito a um "gol relâmpago" marcado com apenas 44 segundos de partida, e assumiu a liderança isolada do Grupo C da Liga dos Campeões.

+ TEMPO REAL: Confira como foi o jogo na Itália

O time italiano chegou aos oito pontos e ultrapassou justamente o clube inglês, que estacionou nos sete, caiu para a vice-liderança e sofreu a sua primeira derrota nesta edição da competição continental.

A Roma começou com tudo o confronto desta terça. Logo em seu primeiro ataque, balançou as redes para desmontar a estratégia do adversário de segurar a pressão inicial dos donos da casa. O bósnio Dzeko foi lançado na entrada da área e, de costas, escorou para trás. O atacante El Shaarawy recebeu o passe e já atacou a bola com um chute forte de primeira, com a parte de fora do pé, acertando o gol adversário com extrema felicidade, aos 44 segundos, sem chances para o goleiro Cortouis.

Esse foi o gol mais rápido da história da Roma em um jogo da Liga dos Campeões. E também foi o gol mais veloz no torneio desde 2013, quando Wilshere balançou as redes pelo Arsenal com apenas 27 de segundos de jogo, em novembro de 2013.

O gol histórico do time romano, porém, não intimidou o Chelsea, que foi rapidamente em busca do empate e quase conquistou a igualdade aos 3 minutos, quando Hazard invadiu a área, finalizou cruzado e obrigou Alisson a praticar boa defesa.

E o time inglês seguiu pressionando o adversário e exigindo boas intervenções do goleiro titular da seleção brasileira, que aos 24 minutos ainda levou um susto ao ver Morata, cara a cara com ele, desperdiçar grande chance de marcar. O lateral sérvio Kolarov tentou sair jogando, mas falhou ao dar a bola de presente para Pedro, que cruzou para o atacante espanhol chutar por cima do gol.

Do outro lado, entretanto, a Roma era sempre perigosa quando chegava ao ataque e por pouco não ampliou para 2 a 0 com o mesmo El Shaarawy aos 33 minutos, quando desta vez o zagueiro brasileiro David falhou e viu Dzeko lhe roubar a bola e tocar para El Shaarawy, cara a cara com Courtois, parar no goleiro belga.

Dois minutos depois, porém, não houve perdão para o Chelsea. Após lançamento de Nainggolan, El Shaarawy viu Rudiger não conseguir fazer o corte e, livre na frente de Courtois, tocou para as redes na saída do goleiro para fazer 2 a 0.

Em desvantagem, o Chelsea foi para o tudo ou nada no segundo tempo, mas teve pouca força para ameaçar a Roma. Conte chegou a sacar o zagueiro Cahill e a colocar o meia brasileiro Willian já no início da etapa final, mas o time romano é que conseguiu aumentar ainda mais o seu volume ofensivo.

E, aos 16 minutos, a equipe da casa praticamente matou o Chelsea ao ampliar para 3 a 0. Após erro de Fàbregas na saída de bola, Kolarov avançou e tocou para o argentino Perotti, que partiu com a bola pela esquerda, cortou para o meio e soltou a bomba de fora da área para acertar o cantinho direito de Courtois.

A partir dali, a Roma esteve muito mais próxima de fazer o quarto gol do que o Chelsea de descontar o placar, mas o time italiano não tinha mais grandes preocupações antes de começar a mirar o seu próximo desafio na Liga dos Campeões, no próximo dia 22 de novembro, contra o Atlético de Madrid, na Espanha. No mesmo dia, o Chelsea buscará reabilitação diante do Qarabag, no Azerbaijão.

 

ATLÉTICO DE MADRID DECEPCIONA

Atuando em casa, o Atlético de Madrid decepcionou a sua torcida no outro duelo desta terça-feira pelo Grupo C da Liga dos Campeões. O time espanhol não conseguiu passar de um empate por 1 a 1 com o Qarabag e soma apenas três pontos em quatro partidas na competição.

Assim, segue com grandes chances de ser eliminado já na fase de grupos, pois ocupa a terceira posição da chave e está quatro atrás do vice-líder Chelsea a duas rodadas para o fim deste estágio do torneio. Já a equipe do Azerbaijão está na lanterna, com dois pontos.

No confronto em Madri, o time visitante surpreendeu ao abrir o placar no primeiro tempo com um gol do meio-campista espanhol Michel, aos 40 minutos. Na etapa final, o Atlético empatou com um gol do volante ganês Thomas, aos 11 minutos, mas não teve forças para buscar a vitória.

Isso mesmo depois de ficar com um homem a mais após a expulsão do meia brasileiro Pedro Henrique pouco depois, aos 13. E, no finalzinho, quando buscava a igualdade, ainda viu a sua vida se complicar com o zagueiro montenegrino Savic, que já tinha cartão amarelo, também levar o vermelho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.