Roma mostra incômodo com novo revés em plano para construir estádio

Intenção do clube é aposentar o Estádio Olímpico, inaugurado em 1953 e reformado para a Copa do Mundo de 1990

Estadao Conteudo

23 Fevereiro 2017 | 11h22

A Roma segue disposta a construir um novo estádio na capital italiana, para aposentar o Estádio Olímpico, inaugurado em 1953 e reformado para a Copa do Mundo de 1990. Isso apesar de todos os entraves que estão sendo encontrados pelo clube desde que lançou o projeto, no começo da década.

Na semana passada, o hipódromo Tor di Valle, fechado desde janeiro de 2013 para dar lugar ao futuro estádio da Roma, foi considerado terreno de "particular interesse cultural" por um órgão federal, o que impossibilita que o clube realmente construa um estádio lá.

Para piorar, o novo governo municipal de Roma, que já vetou a candidatura da cidade aos Jogos Olímpicos de 2024, não parece interessado na construção de uma arena e alega ter outras prioridades.

Uma reunião está marcada para sexta-feira e, antes dela, o presidente da Roma, James Pallotta, afirmou nesta quinta espera que do encontro saia "um resultado intensamente positivo" e que mais um adiamento no projeto seria "catastrófico para o futuro da Roma, do futebol italiano, da cidade de Roma e para o futuro dos negócios na Itália".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.