Werther Santana/AE
Werther Santana/AE

Romarinho critica falta de liberdade para festejar gols

Punido com um cartão amarelo após comemoral seu gol próximo a palmeirenses, atacante reclama de severidade

FÁBIO HECICO, Agência Estado

18 de setembro de 2012 | 13h17

SÃO PAULO - Depois de marcar o primeiro gol do Corinthians na vitória por 2 a 0 sobre o Palmeiras, no último domingo, no Pacaembu, Romarinho causou polêmica ao ir comemorar na frente dos torcedores palmeirenses. Já no intervalo do clássico, o atacante alegou ter agido com "força do hábito", tendo em vista o fato de que naquele setor do estádio geralmente ficam posicionados os corintianos, mas chegou a se desculpar com os palmeirenses que se sentiram ofendidos com sua atitude. Porém, nesta terça-feira ele reclamou da falta de liberdade que os jogadores têm hoje para festejar os seus gols.

Assim como fez Muricy Ramalho ao criticar o cartão amarelo tomado por Neymar, punido pela comemoração que fez após marcar o seu segundo gol na vitória do Santos sobre o Coritiba, no último domingo, o atacante Emerson também lamentou o excesso de rigor dos juízes contra atitudes irreverentes dos atletas. Romarinho afirmou que concorda com o seu companheiro de time e até citou um exemplo recente para defender a sua posição diante das críticas que recebeu desde o último domingo.

"Nunca fui de comemorar tirando sarro de outra equipe, mas concordo com o Sheik. No jogo contra o São Paulo o Luis Fabiano fez gol, comemorou diante da nossa torcida e ninguém falou nada. Não fui zoar a torcida do Palmeiras. Futebol é espetáculo, tem de comemorar do jeito que quiser", ressaltou Romarinho, em entrevista coletiva, na qual completou: "Como eu disse, ali (o Pacaembu) também é nossa casa e a nossa torcida fica ali. Fiz o gol e saí em direção à torcida deles, mas nada de provocar".

O atacante corintiano lembrou que Luis Fabiano comemorou na frente da torcida corintiana na vitória por 2 a 1 do São Paulo, no clássico do último dia 26 de agosto, quando o atacante chegou a imitar o tradicional gesto feito por Usain Bolt, mas a atitude não foi vista como menosprezo ou desrespeito aos adversários.

Romarinho marcou três gols nos últimos dois clássicos contra o Palmeiras e nesta terça-feira disse que gostou de ser chamado de "exterminador" pelos torcedores corintianos. "A gente encara essa brincadeira de forma natural. Venho dando sorte contra o Palmeiras e esse é um apelido legal", admitiu.

E o jovem atacante corintiano espera continuar tendo estrela em jogos importantes nesta temporada. Além de ter balançado as redes por três vezes neste ano contra os palmeirenses, ele marcou um gol com extrema frieza no empate por 1 a 1 com o Boca Juniors, no duelo de ida da final da Libertadores, na Argentina. Após estes feitos, o atleta já vislumbra um gol em uma possível decisão contra o Chelsea no Mundial de Clubes da Fifa, em dezembro.

"Eu sonho sim (com um gol contra o time inglês), mas não sei se vou ser titular. Pelo menos sonho comigo entrando 10 minutos e ajudando com o gol do título. Isso passa muito pela minha cabeça. É um jogo que todo mundo quer participar, um sonho de todos e meu também", revelou.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.