Romário anuncia aposentadoria e pede jogo de despedida

Tetracampeão mundial com aseleção brasileira e melhor jogador do mundo em 1994, oatacante Romário, 42 anos, anunciou nesta segunda-feira que seaposentou do futebol profissional. O jogador, que de acordo com a própria contabilidade marcoumais de mil gols na carreira, afirmou que deseja disputar aindaneste ano um jogo de despedida, seja um clube ou pela equipenacional, treinada por seu amigo Dunga. "Parei. Minha fase já passou", disse Romário a jornalistasno lançamento de um DVD com grandes momentos da sua trajetória,vividos em clubes do Brasil (Vasco, Flamengo e Fluminense),Espanha (Barcelona e Valencia), Holanda, (PSV Eindhoven), Qatar(Al-Sadd), Estados Unidos (Miami) e Austrália (Adelaide). "Desde novembro estou parado e já engordei uns quatroquilos. Seria complicado voltar a jogar... oficialmente nãojogo mais", completou o camisa 11, que marcou 71 gols pelaseleção brasileira e foi o astro do título mundial de 1994. Romário se disse feliz por poder não mais treinar, seconcentrar e viajar --aspectos da profissão que criticou aolongo de sua carreira. Ele parou de atuar profissionalmente como jogador emdezembro de 2007, quando foi anunciado que ele foi pego noexame anti-doping por uso da substância finasterida, queminimiza efeitos da calvície, em uma partida do CampeonatoBrasileiro. Foi condenado a 120 dias de suspensão pelo SuperiorTribunal de Justiça Desportiva (STJD), e acabou absolvido emfevereiro, o que permitiria a ele voltar aos campos. Em seguida, tornou-se jogador-treinador do Vasco da Gama,clube onde iniciou sua carreira vitoriosa em 1985, mas poucodepois deixou o cargo e o clube após um desentendimento com opresidente vascaíno, Eurico Miranda. Foi pelo clube carioca que ele conquistou a maioria dosseus títulos no Brasil, com destaque para a Copa João Havelangede 2001 (que substituiu o Campeonato Brasileiro naquele ano),na qual foi campeão e artilheiro de um torneio nacional pelaprimeira vez, com 20 gols. (Por Rodrigo Gaier, com reportagem adicional de MaurícioSavarese)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.