Romário anuncia oficialmente aposentadoria como jogador

Aos 42 anos, atacante confirma que deixa os gramados durante o lançamento do DVD 'Romário é gol'

Bruno Lousada, O Estado de S. Paulo

14 de abril de 2008 | 22h46

O atacante Romário anunciou oficialmente nesta segunda-feira a sua aposentadoria como jogador de futebol. Um dos maiores atacantes da história do Brasil, ele deixa os campos aos 42 anos. O Baixinho, assim conhecido, confirmou sua despedida no pré-lançamento do DVD Romário é gol, em evento na Barra da Tijuca, no Rio.   Veja também:  Especial: Romário, uma lenda do futebol brasileiro  Bate-Pronto: Romário deixará saudades   Terror dos zagueiros dentro da pequena área, Romário ainda deseja fazer um jogo de despedida. O atacante espera disputar uma partida no Estádio do Maracanã com quatro camisas: da seleção brasileira, do Flamengo, do Fluminense e do Vasco da Gama - este último é o clube que o revelou para o futebol, em 1985.   "A minha fase já passou", afirma o Baixinho, que disputou sua última partida contra o Internacional, pelo Brasileirão do ano passado. "Oficialmente eu parei. Foram cerca de 20 anos de uma carreira bastante positiva. Infelizmente, hoje o futebol é 99% físico. E eu não posso mais acompanhar. Para mim, já deu... Parei oficialmente."   Romário brilhou com a seleção brasileira de 1994, na conquista do tetracampeonato. O Baixinho estendeu sua carreira como jogador para chegar ao principal objetivo: os mil gols. A marca foi obtida em 20 de maio de 2007, na vitória do Vasco sobre o Sport Recife por 3 a 1, pelo Brasileirão - ao todo, ele marcou 1.002 gols.   O último clube de Romário foi o Vasco da Gama, o mesmo que ele iniciou a carreira. O atacante deixou a equipe no começo do último mês de fevereiro, após desentendimento com o presidente Eurico Miranda - Romário, que também acumulava a função de técnico, não aceitou a interferência do cartola na escalação do time.   Aposentado como jogador, Romário não quer se afastar do futebol. "Em pouco tempo eu me acostumo com a aposentadoria. Agora, quero curtir férias com minha família até o final deste ano. Depois, vamos ver."   Seguir a carreira de treinador não está totalmente descartada. Entretanto, o mais provável é que o atleta se dedique à Copa de 2014, trabalhando na organização do evento. "Vamos ver o que o Ricardo Teixeira [presidente da Confederação Brasileira de Futebol] vai propor."   Outro objetivo de Romário é ajudar no resgate do América, que foi rebaixado para a segunda divisão do Estadual do Rio. "Sou torcedor do América. Pretendo ajudar o clube no ano que vem. Não sei como. Primeiro quero pensar nas minhas férias, afinal, estou aposentado."   Atualizado às 23h40 para acréscimo de informação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.