Romário dá ataque de estrelismo

Romário aprontou mais uma logo depois da vitória do Fluminense sobre o Corinthians. No início da madrugada desta quinta-feira, ainda no Maracanã e sob êxtase por ter marcado o único gol do jogo que deixou a equipe carioca fora da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, ele deu um "ataque de estrelismo". Romário queria toda a atenção da imprensa presente à sala reservada para as entrevistas. Como viu que a conversa entre o técnico Renato Gaúcho e os repórteres não terminava, decidiu ir embora.No momento, Romário estava no vestiário, preparando-se para falar sobre o gol e finalmente tentar esclarecer o tumulto ocorrido na manhã de terça-feira, nas Laranjeiras, quando foi ofendido por um torcedor e acabou partindo para a agressão. Ele avisou à assessoria do clube que estava pronto para falar. Foi comunicado então que Renato Gaúcho responderia apenas a mais duas perguntas. Como o treinador se alongou nas respostas, o atacante, sentindo-se desprezado, seguiu para o estacionamento do estádio e não foi mais visto.Na única entrevista que concedeu, minutos depois do término da partida com o Corinthians, Romário disse não estar arrependido dos seus atos ao longo dos anos. Mas ressaltou que, na vida, as pessoas cometem erros e com ele não seria diferente.Nesta quinta-feira, o jogador manteve seu cotidiano no dia seguinte aos jogos: não compareceu ao clube e apenas realizou seu trabalho diário de fisioterapia com Armando Marcial e Fernando Lima, o Zé Colméia, numa clínica na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio.Na próxima quarta-feira, Romário e Zé Colméia terão de comparecer à 9ª Delegacia de Polícia, no Catete, zona sul do Rio, para prestar depoimento sobre a agressão ao torcedor Ricardo Gomes de Faria. O fisioterapeuta também foi intimidado por ter desferido vários socos no torcedor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.