Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

Romário diz que ciclo de Thiago Silva na seleção acabou

Ex-atacante também disse que não convocaria nenhum atacante do time de Dunga, e que futebol brasileiro vive momento 'podre'

Eduardo Barretto - Especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

15 de outubro de 2015 | 16h44

O ex-jogador e senador Romário afirmou que o zagueiro Thiago Silva não tem personalidade suficiente para vestir a camisa da seleção brasileira, em entrevista ao jornal francês L'Équipe, nesta quinta-feira. Romário disse também que, no plantel atual convocado por Dunga, nenhum jogador é "digno" de vestir a camisa 9. 

"O trem passou. Ele demonstrou que não tem personalidade suficiente para vestir a camisa da seleção. Se eu fosse treinador, eu não convocaria. Note que eu não estou questionando a qualidade técnica. Estamos falando especificamente sobre a questão psicológica. Nisso, ele falhou. Mas ele também pode aprender com os erros, se tornar mais adulto e, quem sabe, um dia voltar para a seleção", declarou o ex-atacante, que considera que o ciclo de Thiago "passou".

Romário não citou nenhum episódio específico para justificar sua opinião sobre Thiago Silva. Entretanto, o zagueiro e ex-capitão da seleção na última Copa já havia sido criticado por sua postura no jogo pelas oitavas de final do torneio quando, após empate de 1x1 com o Chile no tempo normal, chorou na disputa de pênaltis, logo antes de a seleção vencer as batidas diretas por 3x2. Dois jogos depois, no mesmo estádio, o Brasil seria derrotado por 7x1. O então capitão não jogou a partida. 

Thiago não está sendo mais convocado por Dunga. Ao choro do zagueiro contra o Chile na Copa, seguiram-se uma lesão logo após o torneio, reclamações - dirigidas a Dunga - por ter perdido a titularidade e a braçadeira de capitão, e uma falha contra o Paraguai na Copa América em junho deste ano que custou a eliminação do Brasil do primeiro campeonato mata-mata após a traumática eliminação da Copa do Mundo.

O Brasil vencia o jogo por 1x0 quando o zagueiro, que havia recuperado sua condição de titular, colocou a mão na bola em uma dividida na área a 20 minutos do fim da partida. Três meses antes, defendendo o PSG contra o Chelsea, Thiago havia feito um lance parecido, mas o Paris Saint-Germain conseguiu se recuperar a tempo. 

Na França, país em que estão o time PSG e o jornal L'Équipe, Thiago é prestigiado. O capitão já levantou as taças da Copa da Liga duas vezes, do campeonato francês em três ocasiões, e da Supercopa da França em uma. Thiago Silva chegou ao Paris Saint-Germain em 2012 e joga ao lado de craques como Ibrahimovic, Cavani e Di Maria. Segundo a revista francesa Le 10 Sports, o PSG já estaria se movimentando para renovar o contrato de Thiago, que vence em junho de 2018. O zagueiro tem chances de encerrar a carreira em Paris, já que já tem 31 anos. 

Além de Thiago Silva, Romário disse que, se fosse técnico da seleção brasileira, também não convocaria os atuais atacantes. "Atualmente, nenhum jogador é digno de usar o número 9 na seleção", disse. 

CRÍTICAS À FIFA E CBF

Como de costume, o baixinho atacou a "máfia" da Fifa, e também disse que o futebol brasileiro "nunca tenha sido tão podre quanto agora" - mesmo que ele aposte na classificação do Brasil em razão do baixo nível dos concorrentes, diz. 

Romário fez críticas diretas a Michel Platini, que foi afastado da presidência da Uefa e da candidatura a presidente da Fifa no último dia 8. Também foram suspensos, em uma iniciativa sem precedentes na organização, o presidente Joseph Blatter e o secretário-geral Jérôme Valcke, além de Chung Moon-jong, também candidato à presidência da entidade. 

"Platini colaborou por muitos anos com esta máfia na Fifa. Não digo que ele é corrupto, mas pode ter se contaminado pelo sistema. Se fosse eleito, poderia manter todo isto e a Fifa iria continuar sendo a m... que vemos hoje", disse Romário, que não considera nenhum candidato à presidência da Fifa como "confiável". 


Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.