Romário é condenado em ação movida por novo presidente da CBF

Romário é condenado em ação movida por novo presidente da CBF

Após se dirigir de maneira ofensiva a dirigentes da instituição, deputado é processado, perde ação e terá de pagar R$ 20 mil

O Estado de S. Paulo

19 Setembro 2014 | 14h15

Depois das declarações a respeito da direção da Confederação Brasileira de Futebol feitas à imprensa no ano passado, Romário foi condenado por injúria e difamação e terá de pagar quantia de R$ 20 mil ao recém-eleito presidente da CBF, Marco Polo del Nero. No mês de setembro de 2013, Romário criticou o atual dirigente José Maria Marin e também não poupou críticas ao futuro presidente que assumirá o cargo em 2015, Marco Polo.

"A CBF tem um presidente que é ladrão de medalha, ladrão de luz e ladrão de terreno. Esse cara deveria pegar no mínimo 100 anos de cadeia. E o pior é que pelo que estou vendo por aí, se as coisas não mudarem no Brasil, a gente vai ter um novo presidente da CBF - que está nesse grupo, que também tem de pagar 100 anos de cadeia que é o senhor chamado Marco Polo del Nero."



Um dia depois da declaração do deputado, Marco Polo del Nero anunciou oficialmente que estaria abrindo um processo contra o ex-jogador por calúnia, injúria e difamação. O presidente ganhou a ação e receberá R$ 20 mil do deputado, que terá de pagar o valor por ofender a honra do futuro presidente da entidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.