Romário e Roberto Carlos selam acordo

Romário e Roberto Carlos voltaram a se falar depois de três anos de rompimento. Assim que acabou a partida em que a seleção empatou com o México por 3 a 3, o lateral foi cumprimentar o atacante pelos dois gols marcados. No vestiário, os dois conversaram com mais calma. O ?Baixinho? deixou claro que eles não voltarão a ser amigos, mas que pelo menos não vão ficar se evitando, como ocorreu nos treinamentos em Guadalajara, onde um não olhava para o outro."Não matamos ninguém, não roubamos ningúem e não xingamos a mãe de ninguém; por isso, não tem nada a ver ficarmos sem nos falar", afirmou Romário. "Disse a ele que não somos amigos, mas que o ambiente estava ficando ruim e que deveríamos voltar a nos falar pelo Brasil." A briga começou em 1998, quando Romário foi cortado da seleção brasileira. Na ocasião, Roberto Carlos disse que a equipe continuaria trabalhando normalmente para a Copa da França, mesmo sem a presença do atacante.Romário não gostou do descaso do companheiro e começou a atacá-lo. Desde então, houve um festival de troca de acusações, que pareciam intermináveis. O reencontro ocorreu na segunda-feira, em treino da seleção, no Estádio Jalisco. A inimizade não prejudicou o desempenho dos dois na partida de quarta-feira, contra o México. Quando houve oportunidade, os jogadores trocaram passes. Roberto Carlos não jogou bem e acabou substituído no segundo tempo por Silvinho. Romário ficou até o fim e marcou dois gols.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.