André Dusek/AE - 31/08/2011
André Dusek/AE - 31/08/2011

Romário ganha penhora de parte dos direitos de quatro vascaínos

Decisão da justiça dá ao ex-jogador 5% do valor de futuras negociações de Dedé, Nilton, Fellipe Bastos e Eder Luís

O Estado de S. Paulo,

16 de agosto de 2012 | 16h42

RIO - A briga entre o ex-jogador Romário e o Vasco, time em que encerrou a carreira, ganhou um novo capítulo nesta quinta-feira. O juiz Mauro Nicolau Junior determinou a penhora de 5% dos direitos econômicos dos jogadores do Dedé, Nilton, Fellipe Bastos e Eder Luis ao ex-atacante e hoje deputado federal. A decisão ainda ordena a retenção de cotas de patrocínio

A decisão atende uma cobrança de Romário no valor de R$ 58 milhões em razão de uma dívida que o clube teria com ele. O ex-atleta afirma ter um documento assinado pelo ex-presidente do Vasco, Eurico Miranda, em que está comprovado a pendência financeira. Porém o clube desconhece o registro e deve recorrer da decisão.

Leia a íntegra da decisão judicial:

Defiro a penhora sobre os direitos econômicos dos atletas Anderson Vital da Silva, Fellipe Ramos Ignez Bastos, Eder Luis de Oliveira e Nilton Ferreira Júnior. Intimem-se por mandado a CBF e a FERJ nos endereços indicados à fl. 246, comunicando da presente decisão e para que sejam adotadas as providências cabíveis no sentido de comunicar acerca da penhora aos eventuais Clubes que transacionarem com o executado o passe dos atletas acima referidos, bem ainda para que os valores da compra sejam depositados a disposição deste Juízo em conta judicial a ser aberta junto ao Banco do Brasil. Defiro, ainda a penhora sobre os valores decorrentes da cota dos Clubes do Campeonato Brasileiro de Futebol e demais créditos em dinheiro pertinentes ao réu. Intime-se a CBF por mandado, inclusive para depositar em favor deste Juízo em conta judicial junto ao Banco do Brasil os valores existentes. Defiro também a penhora dos valores decorrentes da cota de patrocínio. Intime-se a Eletrobrás, por mandado, no endereço indicado à fl. 44, inclusive para depositar em favor deste Juízo em conta judicial junto ao Banco do Brasil os valores existentes. Intime-se o executado, pelo D.O., na pessoa de seu advogado. Cumpra-se com urgência.

Com ESPN

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.