Romário não vê risco de eliminação

Ao desembarcar hoje no Rio, depois da derrota para o Equador pelas eliminatórias do Mundial de 2002, o atacante Romário afirmou que o Brasil tem que ser o primeiro na América do Sul, embora não esteja conseguindo transformar essa teoria em realidade - está na terceira posição na tabela. Ele disse que o Brasil mereceu perder porque teve uma atuação "ruim". Durante a partida, o atacante sofreu uma contusão na coxa direita, cuja gravidade ainda será avaliada."Quando se trata de futebol sul-americano, o Brasil tem de ser o primeiro. O segundo passa a ser o último", observou. "Mas a teoria e a prática são diferentes, pois para vencer tem de dar o máximo." Romário não acredita que tenha faltado vontade aos jogadores que enfrentaram o Equador. Admitiu que a seleção será cobrada pela derrota, que considerou "a pior das três partidas" em que jogou sob o comando do técnico Emerson Leão. "É um time teoricamente muito pior, que nunca venceu o Brasil." Mas, para o atacante, a classificação da seleção na Copa do Mundo não está ameaçada, pois faltam ainda sete jogos das eliminatórias.Romário reconheceu a sua parcela de culpa no resultado, ao lembrar que desperdiçou "duas ou três oportunidades". O atacante foi o único que teve chances de marcar para o Brasil: não conseguiu dominar a bola em um lançamento, chutou na trave em outro lance e o goleiro Cevallos defendeu uma cabeçada sua. Como Romário não marcou, a seleção perdeu? O atacante discorda. "Outros que podiam decidir, não estiveram bem." Segundo ele, o seu isolamento no ataque durante o primeiro tempo foi provocado pelas circunstâncias da partida. Eximiu Leão de responsabilidade por atuar quase sozinho nessa etapa. "No segundo tempo, ele falou para que ficasse o maior número possível de jogadores perto de mim", observou.MACHUCADO - Romário disse que sentiu uma dor na coxa direita em um lance em que chutou a bola para fora. Como continuou em campo, o problema se agravou. Agora, o atacante será submetido a testes com os médicos do Vasco, que não deve contar com o atacante na partida de amanhã, contra o Madureira. "Vou tentar voltar o mais rápido possível." Junto com Romário, apenas o meia Juninho Pernambucano e parte da comissão técnica chegaram ao Aeroporto Internacional do Rio/Galeão. Edílson, do Flamengo, Juninho Paulista e Euller, do Vasco, desembarcaram em São Paulo, de onde seguiriam depois para o Rio.Antônio Lopes vai direto para a Europa, ao lado de Leão, para observar brasileiros no exterior.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.