Romênia investiga dirigente por acusação de suborno

As autoridades anticorrupção da Romênia investigam o presidente da federação local de futebol por acusações de que aceitou um suborno para votar a favor da Polônia e da Ucrânia como sedes da Eurocopa de 2012. Mircea Sandu negou nesta sexta-feira as acusações.

AE-AP, Agência Estado

29 de outubro de 2010 | 13h06

A Uefa disse na quinta-feira que vai processar o ex-dirigente da Associação de Futebol do Chipre, Spyros Marangos, após a acusação de que a escolha dos anfitriões da próxima Eurocopa foi definida de modo corrupto. O cipriota, porém, não apresentou qualquer prova.

O departamento anticorrupção da Romênia revelou nesta sexta-feira que investiga a acusação. Marangos disse para um jornal alemão que os dirigentes da Uefa "venderam" a sede do torneio por 11 milhões de euros em 2007. A Polônia e a Ucrânia derrotaram a Itália na votação da Uefa e Sandu participou da eleição em abril de 2007.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolUefacorrupçãoRomênia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.