Helvio Romero/Estadão
Helvio Romero/Estadão

Romero desabafa após gol e vitória do Corinthians: 'Ninguém vem aqui para roubar'

Atacante mostrou estar bastante incomodado com as críticas feitas

Estadão Conteúdo

16 Outubro 2016 | 21h03

Romero falou em tom de desabafo, neste domingo, após a vitória do Corinthians sobre o América-MG por 2 a 0, no estádio Itaquerão, em São Paulo. O atacante paraguaio mostrou-se bastante incomodado com as críticas que ele e os demais jogadores têm sofrido diante dos últimos maus resultados da equipe. "Ninguém vem aqui para roubar. Trabalhamos para caramba. Dói ouvir críticas. Estamos fazendo de tudo para sair dessa situação que o Corinthians não está acostumado a ficar", disse.

O paraguaio elogiou a chegada de Oswaldo de Oliveira e já projeta dias melhores sob o comando do novo treinador. "Ele tem capacidade para dirigir a equipe e faremos de tudo para se adaptar o mais rápido possível", afirmou. 

Com o resultado deste domingo, o Corinthians encerrou um jejum de mais de um mês sem vitórias em casa no Campeonato Brasileiro. O último triunfo no Itaquerão havia sido no dia 8 de setembro contra o Sport. Depois, a equipe perdeu para Palmeiras e Fluminense e empatou com o Atlético Mineiro. "A gente queria voltar a ganhar em casa porque sabemos que aqui somos muito fortes", disse Romero.

Na próxima rodada do Brasileirão, o Corinthians não terá o zagueiro Pedro Henrique, que levou o terceiro cartão amarelo e terá de cumprir suspensão automática contra o Flamengo, no próximo domingo, na reabertura do estádio do Maracanã, no Rio.

Antes, no entanto, o time tem um duelo decisivo pela Copa do Brasil. Nesta quarta-feira, o Corinthians enfrenta o Cruzeiro, no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte, pela rodada de volta das quartas de final do torneio de mata-mata. A equipe tem a vantagem de jogar pelo empate graças à vitória por 2 a 1 na ida. "Temos uma final na quarta-feira e vamos fazer de tudo para ganhar", prometeu Romero, autor de um dos gols do primeiro jogo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.