Geraldo Bubniak/Light Press/Cruzeiro
Geraldo Bubniak/Light Press/Cruzeiro

Romero minimiza possível ajuda ao rival e garante Cruzeiro forte na reta final

Volante afirma que equipe não pensa em facilitar para Vasco e Botafogo, adversários das últimas rodadas

Estadão Conteúdo

23 Novembro 2017 | 19h06

O volante Lucas Romero garantiu que o Cruzeiro entrará forte na busca pelas vitórias nas últimas duas rodadas do Campeonato Brasileiro. Mesmo diante de dois adversários diretos do rival Atlético-MG na briga por uma vaga na Libertadores do ano que vem, o argentino reafirmou o foco do time celeste nas partidas contra Vasco e Botafogo.

+ Henrique diz que Cruzeiro mira G-4 por vaga na fase de grupos da Libertadores

"O Cruzeiro só pensa no Cruzeiro, como foi no último jogo (contra o Vitória), quando mostramos a vontade de entrar e ganhar cada partida, não importando a situação dos rivais que estamos enfrentando. O que precisamos é apenas vencer para terminar bem o ano", garantiu nesta quinta-feira.

Neste momento, o Botafogo é o último classificado à Libertadores, com 52 pontos, enquanto o Vasco tem 50, assim como o Atlético-MG. Por isso, se o Cruzeiro vencer suas duas partidas, fará com que o rival alvinegro dependa apenas de si para também ir ao torneio continental.

Mas Romero não parece preocupado com isso. Pelo contrário, quer aproveitar as últimas duas rodadas para se firmar ainda mais entre os titulares. Afinal, seu segundo ano no futebol brasileiro foi de superação e, após sofrer com a falta de espaço no início e até com lesões, o argentino se tornou um dos nomes de confiança de Mano Menezes.

"Acho que foi um ano muito bom, primeiramente pelo título da Copa do Brasil. O ano para mim não começou muito bem. Mas trabalhei, lutei, tentei ganhar uma vaga no time e consegui. Em seguida, tive a lesão no tornozelo na semifinal contra o Grêmio, me atrapalhou um pouco, mas estou acabando a temporada muito bem. Estou tranquilo e feliz. Creio que fiz um bom trabalho nesse ano", considerou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.