Lucas Uebel/Grêmio FBPA
Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Romildo Bolzan é aclamado para ficar mais três anos na presidência do Grêmio

Presidente foi reeleito por aclamação, uma vez que não houve o registro de nenhuma chapa de oposição

Redação, Estadão Conteúdo

29 de outubro de 2019 | 21h38

Romildo Bolzan ficará mais três anos à frente do Grêmio. Na noite desta terça-feira, em uma reunião do Conselho Deliberativo do clube, o presidente foi reeleito por aclamação, uma vez que não houve o registro de nenhuma chapa de oposição.

A diretoria gremista terá apenas uma mudança no novo mandato de Bolzan: o vice-presidente Sergei Costa será substituído no cargo por Marco Bobsin, atualmente o chefe de gabinete do clube gaúcho.

Após a confirmação de sua vitória por aclamação, Bolzan discursou para os conselheiros e afirmou que sua prioridade é a conquista de grandes títulos. "O Grêmio é um clube de futebol, que tem de dominar o futebol. Temos de ganhar títulos", falou o presidente. "Não faz sentido disputarmos, disputarmos e não ganharmos. O objetivo de muitos gremistas não é torcer por um cheque, e sim por títulos."

Durante a administração do dirigente de 59 anos, o Grêmio voltou a levantar taças de grande relevância com a conquista da Copa do Brasil em 2016 e da Copa Libertadores em 2017.

O próximo mandato será o terceiro de Bolzan no Grêmio. Sua primeira eleição ocorreu em 2014, para o biênio 2015/2016. Ao fim de 2016, ele se reelegeu, desta vez para ficar três anos à frente do clube, graças a uma mudança no estatuto. A eleição ocorrida nesta terça-feira foi a primeira em que o dirigente não teve nenhum adversário.

Tudo o que sabemos sobre:
Romildo BolzanGrêmiofutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.