Rômulo se apresenta à seleção e vislumbra ser 'carrasco' da Argentina

Rômulo se apresenta à seleção e vislumbra ser 'carrasco' da Argentina

Volante teve problemas para conseguir o visto chinês, mas conseguiu e já pensa no duelo contra o maior rival brasileiro

Raphael Ramos - Enviado especial a Pequim, O Estado de S. Paulo

10 de outubro de 2014 | 07h18

A seleção brasileira, enfim, está completa em Pequim, na China, onde enfrenta a Argentina, sábado, no Ninho do Pássaro, pelo Superclássico das Américas. O volante Rômulo, do Spartak Moscou, desembarcou em Pequim na madrugada desta sexta-feira no horário local (a diferença para o Brasil é de 11 horas) e foi o último jogador a se apresentar.

Rômulo foi convocado no domingo para a vaga de Fernandinho, do Manchester City, machucado. Último atleta chamado por Dunga, ele teve problemas para conseguir o visto de entrada na China. "Foi um pouco difícil porque as embaixadas da China estavam em recesso no mundo todo. Desde segunda-feira eu estava na luta junto com a CBF e o Spartak para ver se conseguia tirar o visto o mais rápido possível", explicou.

A seleção brasileira está na China desde segunda-feira. Rômulo deveria brigar com Elias pela vaga de Ramires, também cortado por lesão, mas perdeu a disputa devido ao seu atraso na apresentação. "Perdi três treinos, mas estou preparado. O Dunga sabe que, se optar por mim como titular, vou estar preparado para dar o meu melhor sempre".

Depois de disputar a Olimpíada de 2012, ainda sob o comando de Mano Menezes, o volante fez duas cirurgias no joelho direito e perdeu espaço na seleção. Se tiver a chance de entrar no decorrer da partida deste sábado, Rômulo vê a Argentina como o adversário ideal para ele se firmar na seleção. "Contra a Argentina é sempre bom jogar. É um jogo disputado e tive sorte na última partida contra eles, quando fiz um gol (amistoso em 2012). Agora, é torcer pela vitória, que é o mais importante, mas se der para fazer outro gol não vai ser nada ruim."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.