Ronaldinho apóia Brasil no Uruguai

A presença do atacante Ronaldo na capital uruguaia motivou bastante a delegação brasileira e despertou a atenção de muita gente que não sabia que o craque da Inter de Milão acompanharia o jogo do Brasil. Ronaldo chegou ao Hotel Sheraton, onde a equipe de hospeda, no início da madrugada deste domingo. Havia uma festa de adolescentes uruguaios em frente ao hotel e a maioria abandonou o local para ver de perto o jogador. Um deles chegou a soltar um morteiro e a algazarra foi grande. A impressão é que os torcedores uruguaios aproveitaram a presença de Ronaldo para tumultuar o sono dos atletas brasileiros. Logo, a segurança do hotel foi reforçada e Ronaldo subiu para um quarto no 17º andar, o reservado no mesmo aos demais jogadores.Ronaldo está afastado de suas atividades esportivas há quase um ano e três meses, por causa de uma grave lesão no joelho direito. O atacante veio assistir ao jogo a convite do técnico Luiz Felipe Scolari. "Este é um momento importante para o futebol brasileiro dar a volta por cima e arrancar a sua classificação para o Mundial de 2002", declarou.Dezenas de ônibus com torcedores brasileiros da cidades de Uruguaiana, Santa do Livramento, Quaraí e Ijuí, na fronteira do Brasil com o Uruguai chegaram cedo a Montevidéu e promoveram buzinaços nas principais avenidas da cidade, como a Calle 18 de Julho. A maioria vestia camisas do Grêmio e do Internacional e outros estampavam camisetas ou pequenas faixas de apoio ao gaúcho Scolari.O clima ao redor do Estádio Centenário, antes do início da partida, era de cordialidade. Grupos de adolescentes e jovens uruguaios seguiam para o local do jogo entoando músicas que ironizavam a seleção brasileira e seus principais jogadores, como Rivaldo e Romário. Mas a manchete do principal jornal do Uruguai, El País, dava o tom de respeito dos anfitriões: "Este é o dia mais importante para o Uruguai este ano." Fazia frio na cidade e o temor era de que o vento aumentasse no horário da partida, o que traria uma sensação térmica muito desagradável.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.