Ronaldinho diz que sair do ônibus por último é superstição

Em entrevista publicada nesta sexta-feira pelo jornal português Record, o meia Ronaldinho Gaúcho admite que é supersticioso. Para este Mundial, sua ´mania´ é ser sempre o último a deixar o ônibus que conduz a delegação aos jogos. "É um pouquinho de superstição, sim. Não vou mentir. Como está dando certo, e a gente tem ganho todos os jogos, eu vou continuando com a superstição".Com as quatro vitórias nas quatro primeiras partidas da Copa, agora a ´superstição´ até já se tornou coletiva. "A gente agora não quer mudar. Os outros jogadores são supersticiosos também e já nem me deixam sair antes deles. Então, a situação vai se repetindo", assegura o jogador do Barcelona.Outra mania de todo o grupo é a música a toda a hora. Quando o ônibus chega ou parte, de treino ou jogo, há sempre muita agitação no interior, em clara repetição do espírito de 2002. Naquela ocasião, ouvia-se e tocava-se Zeca Pagodinho, com o tema "Deixa a vida me levar". Agora, o músico carioca voltou a ser o escolhido. "Mudamos de canção mas nos mantemos fiéis ao Zeca. Cantamos o "Patota de Cosme", conta Ronaldinho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.