Ronaldinho e Luisão podem ser cortados

A decisão sobre a permanência ou não de Ronaldinho Gaúcho e Luisão na seleção brasileira para a partida de domingo, contra o Chile, em Santiago, pelas Eliminatórias da Copa de 2006, dependia do resultado de um exame de tomografia a que os atletas seriam submetidos na capital mineira. Os dois sofreram lesões musculares e foram vetados para a partida desta quarta-feira, contra a Argentina, também pelas Eliminatórias. Ronaldinho e Luisão desembarcaram no final da tarde desta segunda no Aeroporto da Pampulha. Eles não seguiram no ônibus com o restante da delegação e foram direto para uma clínica, junto com médico José Luís Runco. A situação do atacante do Barcelona, que sofreu um estiramento na face anterior da coxa esquerda, é a que mais preocupava. O assessor de imprensa da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Rodrigo Paiva, informou que Runco concederia entrevista às 20 horas para divulgar o resultado do exame e a decisão em relação aos possíveis cortes. Apesar de estar fora da partida contra a Argentina, Ronaldinho Gaúcho foi o atleta brasileiro mais festejado pelos cerca de 300 torcedores mineiros que acompanharam o desembarque da delegação. O atacante foi o único jogador que teve o nome gritado pelos torcedores, que só puderam acompanhar à distância a chegada dos ídolos. A Polícia Militar montou um forte esquema de segurança, com cerca de 150 policiais, para acompanhar o desembarque dos atletas. Agentes da Polícia Federal também fizeram parte do efetivo. O ônibus que levou os jogadores demorou quase uma hora para chegar ao hotel no bairro Belvedere, região sul da capital, onde a delegação brasileira se hospedou. Alguns torcedores criticaram o rigor com a segurança. O garçom José Eustáquio Pereira, que completou 45 anos nesta segunda, vestiu seu "uniforme canarinho" e levou uma bandeira do Brasil na esperança de conseguir um autógrafo. Mas voltou para casa frustrado. "Era um sonho. Nunca tinha visto a seleção assim de pertinho." O estudante João Paulo Nápoles, de 18 anos, reclamou que a distância não permitiu que ele tirasse fotos dos ídolos. "Não deu nem para ver direito. Tinha muito policial na frente e eles entraram rapidamente no ônibus." Treino - O técnico Carlos Alberto Parreira comanda nesta terça-feira, às 16 horas, no Mineirão, palco do jogo, um treino de reconhecimento do gramado. A entrada será liberada para os torcedores que doarem um quilo de alimento não-perecível. Os portões do estádio serão abertos para o público às 14 horas. A PM aproveitará para fazer uma simulação do esquema de segurança montado para a partida, que inclui mais de 900 homens e 20 câmeras espalhadas no Mineirão. A previsão era que a seleção argentina desembarcasse às 21h15 no Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, na Grande Belo Horizonte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.