Arquivo/AE
Arquivo/AE

Ronaldinho é motivo de embate entre Berlusconi e Ancelotti

Dono do Milan quer mais oportunidades para o jogador brasileiro, enquanto técnico pensa de forma diferente

EFE,

16 de maio de 2009 | 10h47

O brasileiro Ronaldinho Gaúcho é o principal motivo de desencontro entre o primeiro-ministro da Itália e proprietário do Milan, Silvio Berlusconi, e o treinador da equipe, Carlo Ancelotti, que já decidiu ir embora no final da temporada.

Veja também:

linkMilan pode considerar transferência de Ronaldinho

linkBerlusconi nega venda de parte do Milan para grupo árabe

Assim o assegura hoje o jornal italiano Corriere della Sera, que informa que Ancelotti já tomou uma decisão: irá embora perante a falta de confiança nele depois que Berlusconi o apontou como único responsável de ter perdido o título da Liga esta temporada.

Segundo o jornal, o centro do desacordo do primeiro-ministro da Itália com o técnico do Milan são as poucas oportunidades para jogar que Ancelotti está dando ultimamente a Ronaldinho Gaúcho, que desde que se recuperou de uma pequena lesão em março não voltou a ser titular.

"Nem em Siena, nem sequer nas oito partidas seguintes do campeonato, o brasileiro foi titular e em Catânia, há duas semanas, ficou no banco", diz o jornal.

Berlusconi, segundo o "Corriere della Sera", acredita que com Ronaldinho Gaúcho em campo a equipe poderia ter colocado mais pressão no Inter e ter, inclusive, conseguido o título da Liga.

Em entrevista coletiva ontem, Ancelotti se erigiu em porta-voz do Milan e assegurou que, se Ronaldinho Gaúcho quer ir embora da equipe na próxima temporada, o clube não vai se fechar e está disposto a escutar suas motivações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.