Divulgação
Divulgação

Ronaldinho Gaúcho completa 35 anos cada vez mais em baixa

Meia não consegue se destacar atuando no futebol mexicano

Gustavo Borges, EFE

19 Março 2015 | 18h33

Ronaldinho Gaúcho, jogador do Querétaro, completará 35 anos neste sábado, e como num passe de mágica, sem o encanto que o levou a ser o melhor do mundo de 2004, e sem sequer repetir as atuações da passagem pelo Atlético Mineiro, em que conquistou a Taça Libertadores em 2013.

Com quilos a mais, lento e sem capacidade de liderança, o craque partiu para a aventura mexicana, talvez a última da carreira, mas para muitos jornalistas do país, se tratando apenas uma imitação barata do jogador que já foi.

A presença mais constante em festas do que em partidas dos 'Gallos Blancos', fez a contratação de Ronaldinho ser muito questionada. O meia passou a protagonizar reportagens polêmicas, com detalhes dos eventos que participa.

O campeão mundial em 2002 foi anunciado em setembro pelo time mexicano. Nos primeiros meses, apesar do desempenho irregular, fez três gols e deu uma assistência, dando a impressão que ao se adaptar ao futebol do país e ao novo clube, poderia brilhar.

Ao término do Torneio Apertura, em dezembro, voltou para o Brasil, virou notícia no México por ser flagrado "na balada", enquanto os diretores do Querétaro sustentavam que o atleta estava resolvendo assuntos importantes no país de origem. Por fim, Ronaldinho se apresentou com atraso de vários dias.

Com isso, em 2015, o meia só apareceu na equipe no quarto compromisso da temporada, atuando apenas por 29 minutos. Em 6 de fevereiro, enfim atuou em um jogo por inteiro, no empate com o Veracruz em 1 a 1, e ganhou grande apoio da torcida, que ainda aguardava uma grande exibição.

O desempenho irregular, as polêmicas envolvendo o "extra-campo", foram minando a popularidade de Dinho, como é conhecido no país. Na rodada, passada, o novo técnico do Querétaro, Víctor Vucetich, sequer o relacionou para o jogo com o Toluca, que acabou 1 a 0 para o adversário.

Enquanto os 'Gallos Blancos' se afundam na tabela, ocupando a penúltima colocação, Ronaldinho não vai além de um "zumbi irritado". Seus únicos números imponentes são os referentes ao salário, que gira em torno de US$ 2 milhões (R$ 6,5 milhões) por ano.

O craque se trata de um dos maiores jogadores que já defendeu equipes do México, mas nunca conseguiu se manter em forma, como aconteceu com o compatriota Bebeto, que vestiu a camisa do Toros Neza em 1999 e não conseguiu brilhar.

Ronaldinho completará 35 anos neste sábado, no dia seguinte ao duelo do Querétaro com o Atlas, pela 11ª rodada do Clausura. Sua festa deverá ser incompleta, já que a relação com a antiga melhor amiga, a bola, parece cada vez mais fria.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.