Ronaldinho Gaúcho perto do Manchester

Está cada vez mais difícil a permanência de Ronaldinho Gaúcho no Paris Saint-Germain para a próxima temporada. Segundo os principais jornais esportivos da França, as negociações entre o jogador e o Manchester United já estariam avançadas, mas o valor da transferência do pentacampeão estaria sendo guardado a sete chaves.O atacante já vinha tendo vários problemas com o técnico do PSG, Luis Fernandez, nos últimos meses. Mas na semana passada, a relação entre o jogador e o técnico foi praticamente rompida. Durante a partida do meio da semana entre o PSG e o Nantes, Fernandez decidiu substituir o brasileiro na metade do segundo tempo. Ao passar em frente ao banco de seu time, Ronaldinho não poupou insultos ao técnico.Segundo Fernandez, o objetivo da substituição era preservar o jogador para a semifinal da Copa da França contra o Bordeaux, que ocorreria neste domingo. "Quando Vicente Del Bosque (técnico do Real Madrid) substitui Ronaldo, ele não precisa dar explicações. Ronaldo vai ao banco e se senta sem problemas", afirmou o técnico ao diário France Football.Mesmo com a perspectiva de que a direção e o técnico do PSG sejam completamente subsituídos a partir de julho, os jornais europeus não acreditam que Ronaldinho fique em Paris. Francis Graille, o novo presidente do clube, deixou claro que tem interesse na permanência de Ronaldinho, mas não descarta sua partida.Obstáculos - Se permanecer parece uma realidade bastante difícil, a transferência também não será fácil. O PSG estaria pedindo US$ 50 milhões pelo jogador e pela interrupção do contrato com Ronaldinho, que termina apenas em 2006. O valor, porém, pode não ser correspondido pelos clubes europeus diante da crise financeira que atinge o futebol.Outro problema é que a utilização dos direitos de imagem do jogador são de propriedade da empresa SportFive, que é controlada pelo Canal Plus, proprietário do PSG. Para que o Manchester United levasse o jogador e tivesse o direito de utilizar sua imagem em peças publicitárias, precisaria dar pelo menos US$ 19 milhões à empresa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.