Ronaldinho Gaúcho vive seu pior momento no Barcelona

Ídolo de um Barça campeão europeu em 2005, brasileiro hoje amarga reserva e revolta da torcida catalã

Javier Giraldo, Efe

14 de janeiro de 2008 | 17h37

Habituado aos louros da fama e aos elogios generalizados desde o início de sua carreira, o meia-atacante brasileiro Ronaldinho Gaúcho, do Barcelona, terminou o ano de 2007 de uma maneira pouco usual: sentado no banco de reservas e vaiado pela torcida. O craque brasileiro, Bola de Ouro e Melhor Jogador do Mundo em 2005, atravessa seu pior momento desde que chegou ao Barcelona, em 2003.  Ronaldinho Gaúcho começou a atual temporada como titular absoluto da equipe do técnico Frank Rijkaard. De fato, coube a ele marcar os dois primeiros gols do Barcelona no Campeonato Espanhol, na vitória da equipe por 3 a 1 contra o Athletic Bilbao. Mas na já quarta rodada começaram os problemas. Uma contratura lhe tirou da partida contra o Sevilla, forçando também seu afastamento dos jogos contra Zaragoza e Levante. As dúvidas sobre seu estado físico aumentaram quando a imprensa começou a noticiar suas saídas noturnas. O jogador chegou a ser visto na noite apenas 48 horas antes de uma partida contra o Osasuna, segundo algumas informações. Agora não era só seu estado físico que estava sendo posto em dúvida: era também seu compromisso para com a equipe catalã.  No início de novembro, Ronaldinho Gaúcho emendou duas boas partidas, contra o Valladolid (1 a 1) e o Bétis (3 a 0), marcando gols em ambas. Mas pouco depois, voltou a ser um dos mais criticados, após a derrota do Barça para o Getafe, por 2 a 0. Na rodada seguinte, o jogador alegou fadiga para não jogar perante o Recreativo, o que revoltou a torcida, cada vez mais acostumada a não poder mais contar com o jogador que marcara a recuperação esportiva do clube. Enquanto isso, o Barcelona continuava sua trajetória no Campeonato Espanhol, com a estranha sensação, compartilhado por muitos, de que a equipe atuava melhor quando Ronaldinho Gaúcho não estava em campo. Os mais críticos não tardaram em observar que, nas três partidas que o Barcelona ganhou fora de casa (contra Levante, Valencia e Mallorca), Ronaldinho Gaúcho não jogou. No clássico com o Espanyol, disputado em 1.º de dezembro, e que terminou empatado em 1 a 1, Rijkaard deixou o brasileiro no banco, colocando-o em campo somente aos 15 minutos do segundo tempo. Foi a primeira vez que Ronaldinho Gaúcho ficou na reserva em uma partida do Espanhol.  Duas semanas depois, contra o Valencia, o jogador voltou a ficar entre os reservas; desta vez, no entanto, o técnico nem sequer fez menção de colocá-lo em campo.  Sua última aparição foi no clássico com o Real Madrid, em 23 de dezembro, no qual o Barcelona foi derrotado em casa por 1 a 0, e Ronaldinho quase não foi notado em campo. Desde então, o brasileiro não jogou uma só partida, e quase não treinou, por causa de uma tendinite patelar que lhe mantém afastado, sem data de retorno.

Tudo o que sabemos sobre:
Ronaldinho GaúchoEC Barcelona

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.