Ronaldinho leva auto-estima aos catalães

A rivalidade entre Barcelona e Madri é histórica, em todos os aspectos ? político, cultural, econômico, social, esportivo. No futebol, então, há muito tempo os catalães sofrem de irremediável dor de cotovelo com o sucesso do Real Madrid. Agora, enfim, acreditam ter encontrado o consolo ? por meio dos dribles, dos lançamentos e dos gols de Ronaldinho Gaúcho. O astro brasileiro se tornou, em pouco tempo, ponto de referência da equipe, o regente de uma orquestra que na arrancada final da temporada de 2003-04 dá sinais de entrosamento. ?Bendita a mãe que te pariu? foi a manchete exagerada com que o jornal El Mundo Deportivo tratou de resumir a admiração dos torcedores locais com as proezas de Ronaldinho ? a mais recente delas foi o gol de falta, aos 45 minutos do segundo tempo, que deu a vitória por 1 a 0 ao time diante da Real Sociedad. O diário, editado em Barcelona, encabeça a campanha para fazer com que, ainda este ano, o craque revelado pelo Grêmio seja eleito o melhor do mundo, na pesquisa que a Fifa faz com treinadores de seleções. O lobby pode até ter sucesso imediato, porque há concorrentes de peso, como Ronaldo, Zidane e Thierry Henry, o trio finalista do ano passado. Mas, para os catalães, pouco importa. O que conta, neste momento, é o resgate do amor-próprio. ?Ronaldinho presenteia com jóias futebolísticas a torcida do Barça, em particular, e os amantes do futebol mundial, em geral?, afirma El Mundo, em comparação nada modesta. O coro conta também com a chancela de La Vanguardia, outro jornal ligado à cidade. ?Se não fosse por Ronaldinho, o Barcelona estaria em posição intermediária na classificação?, observou um de seus articulistas, que não deixa de ter razão. Algum tempo atrás, o brasileiro se contundiu e desfalcou a equipe em quatro rodadas. Resultado da ausência: um empate (Valladolid) e três derrotas (Villarreal, Malaga e Real Madrid). A recuperação do astro teve influência direta na reação da equipe. O Barcelona acumula 9 vitórias consecutivas, e saiu da ameaça de rebaixamento para o sonho do título espanhol. Por enquanto, está em terceiro lugar, com 55 pontos ? 6 a menos do que o Real e a 5 do vice-líder Valencia. Mas, com a inspiração e a genial simplicidade com que Ronaldinho Gaúcho (24 anos completados domingo) está jogando, dá até para ter esperança. Sem contar que há ainda o choque Barcelona x Real Madrid, dia 25 de abril, no Santiago Bernabéu.

Agencia Estado,

23 de março de 2004 | 20h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.