Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Ronaldinho minimiza saída de Neymar e brinca com Messi: 'Buscou muito café pra mim'

Para o craque brasileiro, seu compatriota já escreveu seu nome na história do Barcelona

Felippe Scozzafave e Rodolfo Mondoni, O Estado de S.Paulo

10 de agosto de 2017 | 22h18

Um dos maiores jogadores da história do futebol, Ronaldinho já vive fase de despedida dos gramados profissionais. Porém, não é por isso que deixa de atrair público. Na noite desta quinta-feira, o craque participou de um evento em um shopping de São Paulo e, entre suas lembranças dos tempos de Barcelona, onde foi eleito o melhor jogador do mundo em duas oportunidades, relembrou a parceria com Messi e também comentou sobre a saída de Neymar, seduzido pela maior transferência da história do futebol.

"Era o meu sonho de adolescente jogar no Barcelona. Seguir os passos dos meus ídolos que já tinham passado por lá. Aquilo coroou a minha carreira. Não tem como imaginar minha carreira e minha vida sem o Barcelona", comentou, deixando claro o porque escolheu o clube espanhol em 2004, quando estava de saída do Paris Saint-Germain e tinha proposta também do Manchester United.

No clube espanhol, enquanto Ronaldinho era rei, outro grande jogador surgia nas categorias de base, Lionel Messi, para quem o brasileiro deu passe para o primeiro gol da carreira. "É maravilhoso fazer parte da história de um cara como ele. Um cara que tem tantos gols na carreira. É um orgulho pra mim dizer que o primeiro eu que dei o passe", lembrou, destacando, porém, que antes disso o argentino teve que "buscar muito café" para ele.

Ainda durante o evento, Ronaldinho comentou sobre Neymar, outro brasileiro que brilhou pelo clube espanhol, mas que preferiu sair

"pela porta de trás", para ser o grande nome do Paris Saint-Germain pela absurda quantia de R$ 821 milhões. Para o ex-camisa 10, a decisão do atual grande craque da seleção brasileira não deve ser criticada, mas sim elogiada: "Ele é mais um dos nossos que passou por lá e deixou a porta aberta para outros brasileiros. Isso é o maior orgulho que a gente pode ter. Antes de mim passaram Ronaldo, Romário, Rivaldo, Evaristo de Macedo e outros. O Neymar deu seguimento nisso tudo e deixou a porta aberta para os próximos", concluiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.