Ronaldinho nega aposentadoria e diz que ficará no Milan

O brasileiro Ronaldinho negou nesta terça-feira as especulações de que pensa em encerrar sua carreira no futebol. Em nota oficial, o atacante afirma que pretende continuar no Milan até o fim de seu contrato, em 2011.

AE, Agencia Estado

22 de setembro de 2009 | 10h34

"Minha fonte de alegria é (e sempre tem sido) jogar futebol. Estou muito feliz no Milan e em Milão, do mesmo modo que fui feliz em todas as atividades que fiz e em todos os clubes em que joguei", disse Ronaldinho.

Depois de ter um bom desempenho na pré-temporada, o brasileiro começou o Campeonato Italiano como grande esperança da equipe. Mas o nível das atuações caiu e ele foi reserva na estreia pela Liga dos Campeões.

No domingo, Ronaldinho não foi nem relacionado para enfrentar o Bologna. O motivo oficial divulgado pela comissão técnica foi uma febre, mas o jogador foi à partida e não deu sinais de que estaria doente.

Durante toda a segunda-feira, a imprensa europeia especulou sobre uma possível aposentadoria do atacante. "A crítica, positiva ou negativa, é válida. Mas, tem de estar baseada em fatos reais. Publicar informações falsas é inaceitável", disse.

Ronaldinho usou a nota oficial também para criticar o jornal catalão Sport, que lançou os boatos sobre o fim de sua carreira. "O jornal Sport, desde que jogava no Barcelona, sempre publicou artigos mentirosos e hostis contra minha pessoa. Todos podem estar seguros que meu contrato com o Milan é válido até o 2011 e quero respeitá-lo aqui em Milão", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.