Ronaldinho promete correr por Ronaldo

Ronaldinho Gaúcho diz que vai "correr dobrado para ajudar Ronaldo" na Seleção Brasileira. O meia do Barcelona está preocupado com a situação do atacante do Real Madrid. Sente que o colega está abatido com os problemas que vem enfrentando. O último deles foi domingo, quando atirou uma garrafa plástica em alguns torcedores do Real que o vaiavam durante jogo contra o Málaga. Ronaldo chegou a pedir desculpas publicamente, mas o caso teve má repercussão na Espanha."Criticam o Ronaldo, mas ele continua jogando bem, fazendo gols. Pra mim, ainda é o melhor do mundo. Vou fazer de tudo para deixá-lo em condições de fazer gols pela Seleção para recuperar a moral", disse Ronaldinho Gaúcho, fã confesso do Fenômeno. "O Ronaldo sempre foi um ídolo pra mim. Lembro que me recebeu muitíssimo bem quando fui convocado pela primeira vez, para a Copa América de 99".Ronaldinho Gaúcho diz que não só ele, mas a Seleção inteira, deve jogar por Ronaldo. "Nos momentos em que precisamos, ele nos ajudou".Já o lateral-esquerdo Roberto Carlos, colega de Ronaldo no Real Madrid, afirma que a pressão sobre o atacante nem é tão grande assim."Não é a torcida, são apenas alguns moleques que pegam no pé dele".Miguel Angel Lara, jornalista do Diário Marca, da Espanha, endossa as palavras do lateral. "Quando um pequeno grupo de torcedores começa a vaiar o Ronaldo, logo o estádio inteiro passa a incentivá-lo".No treino desta terça-feira em Teresópolis, o primeiro visando os jogos contra Peru (dia 27, em Goiânia) e Uruguai (dia 30, em Montevidéu), Ronaldo demonstrou sinais de abatimento fora do campo e alegria dentro dele.Rumo ao gramado, foi o único a ignorar os jornalistas, andando com a cabeça baixa e respondendo com lacônicos "não" a cada solicitação de entrevista. Em campo, brincou bastante com os colegas, principalmente com Cafu e Roberto Carlos."Ele estava bem solto no treino, se sentindo à vontade no ambiente da Seleção. A pressão que ele anda sofrendo é normal. Tomara que ele arrebente nesses dois jogos pra gente", disse o volante Emerson.Para o técnico Carlos Alberto Parreira, "pelo olhar e pelo sorriso, nota-se que o Ronaldo chegou muito bem e quase no peso ideal". O treinador garante não estar preocupado com os fatores extra-campo na vida de Ronaldo. Voltou a lembrar que "trata-se de um atacante que aparece sempre nos momentos decisivo". Mas, precavido, fez questão de passar boa parte do treino desta terça conversando ao pé do ouvido com o atacante. "O Ronaldo é a terceira personalidade mais conhecida do mundo, é uma celebridade e vai ser sempre notícia", disse Parreira, sem falar quem são as duas primeiras celebridades. "Poderia até ser simpático se desse entrevistas. Seria mais educado. Mas se o Ronaldo não quer dar, temos que respeitar a posição dele".No treino desta terça-feira, na Granja Comary, Ronaldo foi um dois únicos jogadores (o outro foi Roberto Carlos) a ter o nome gritado pelos pouco mais de 100 torcedores que compareceram ao local - prova de que o Fenômeno ainda tem moral com a torcida. Cerca de seis garotos, porém, resolveram "homenagear" a esposa do jogador. E passaram a gritar "Cicarelli". Ronaldo, de longe, riu.Para ajudar a descontrair o ambiente, jogadores e comissão técnica organizaram nesta terça-feira à noite uma festa de aniversário para Ronaldinho Gaúcho na concentração. Na segunda-feira, o meia do Barcelona completou 25 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.