Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Ronaldinho se despede do Grêmio

Em seu último dia de Grêmio, Ronaldinho se comportou como se a sua vida fosse continuar no ritmo de sempre: manteve a rotina de trabalho no Olímpico. Mas, nesta sexta-feira, enquanto era convocado para a seleção brasileira pelo técnico Émerson Leão, Ronaldo de Assis Moreira encerrava seu contrato com o clube gaúcho. Agora, sem lugar para treinar, ele espera um desfecho na briga jurídica pelo seu passe para poder se transferir para o Paris Saint-Germain, da França.Quando chegou ao clube, às 15h55, Ronaldinho entrou no vestiário e só saiu às 17h15, quando o técnico Tite apitou o início do treino. Chegou correndo, ao lado do seu inseparável amigo, o meia Tinga. Treinando com o jaleco branco da equipe reserva, ele mostrou, para os quase 50 torcedores que não paravam de gritar o seu nome, a mesma categoria de sempre.Agora, sem o vínculo com o Grêmio e ainda sem poder se apresentar ao PSG, Ronaldinho não tem onde treinar e assim, manter a forma para representar o Brasil. "Lugar para treinar é o que não vai faltar. Não posso me descuidar, pois fui convocado novamente para a seleção e não posso me descuidar", afirmou o jogador, sem mostrar muita preocupação com o impasse em sua carreira.Antes de cruzar os portões do estádio Olímpico, Ronaldinho deu uma conturbada entrevista coletiva e se esforçou para provar que sua rotina não irá mudar daqui para frente. Apesar disso, ele não conseguiu esconder o desconforto com o surgimento de mais problemas em sua vida. O atacante está sendo acusado de ter uma carteira de habilitação falsificada e de ter agredido o torcedor J. J. M., de apenas 12 anos."Não sei nem brigar, como é que vou machucar alguém, quando estava dirigindo o meu carro??, defendeu-se o jogador, acusado de ter atirado uma tangerina pela janela do veículo, que teria acertado o garoto. Realmente existe uma denúncia no Fórum da Tristeza, bairro da Zona Sul de Porto Alegre, datada do dia 5 de fevereiro, em que o advogado Hamilton Jesus Pereira pediu uma indenização de R$ 150 mil e mais dois salários mínimos mensais de pensão vitalícia. O pedido foi rejeitado pelo juiz Eduardo Bainy. Outra confusão em que Ronaldinho está metido é falsificação de documentos. A sua carteira de habilitação, falsamente emitida em Joinville (SC), não consta também nos arquivos do Departamento de Trânsito (Detran) do Rio Grande do Sul. "O prontuário com o nome de Ronaldo de Assis Moreira não consta em nossos registros. O atleta tem dez dias para se explicar. Caso não seja convincente na sua defesa, terá a habilitação para dirigir apreendida", ameaçou o diretor do Detran gaúcho, Mauri Cruz. O jogador prefere não falar nada sobre este caso e diz apenas que os seus advogados estão cuidando do assunto. Mas, ao deixar o estádio Olímpico no seu Fiat Marea, às 19h30, junto com duas sacolas contendo vários pares de chuteiras, Ronaldinho sentou no banco de trás. Quem dirigia o carro era um amigo. O seu último dia de Grêmio não podia ter sido mais agitado, com convocação, acusações e um futuro incerto pela frente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.