Uanderson Fernandes/O Dia
Uanderson Fernandes/O Dia

Ronaldinho se diz feliz por jogar 90 minutos em estreia no Fluminense

Meia participou da jogada do único gol da partida

Estadão Conteúdo

02 de agosto de 2015 | 09h25

A estreia de Ronaldinho Gaúcho com a camisa do Fluminense surpreendeu até mesmo o próprio jogador, na noite deste sábado. Há dois meses sem entrar em campo, o meia fez boa apresentação, participou da jogada do gol da equipe carioca e conseguiu permanecer em campo, no Maracanã, durante os 90 minutos da partida contra o Grêmio, seu ex-time.

"É importante demais estrear com vitória. Não saímos da zona dos primeiros colocados. Fico feliz pela vitória e por suportar os 90 minutos. Agora, é continuar trabalhando. Fui além das minhas expectativas, não sabia se suportaria o tempo todo", disse o jogador, em entrevista ao Sportv.

Ronaldinho, que estimulou bom público no Maracanã, se destacou em campo ao dar passe que gerou o gol de Marcos Júnior, que garantiu a vitória do Fluminense, por 1 a 0. O resultado levou a equipe carioca ao provisório terceiro posto da tabela. "Estou muito emocionado. O objetivo é ser campeão, sabemos que é difícil, mas vamos lutar", afirmou.

"Queria muito começar com a vitória, botar o Fluminense de novo em situação boa e dar essa semana de tranquilidade para trabalhar e recuperar a forma física. Ainda estou começando, são dois meses sem jogar. Ainda falta ritmo de jogo. A cabeça pensa, mas o corpo não responde. Mas estou feliz", declarou Ronaldinho.

Além dos aplausos da torcida, o reforço do Fluminense ganhou elogios do técnico Enderson Moreira. "Ele veio para agregar muito. Teve a sabedoria de aproveitar bem o jogo mesmo com o pouco tempo que teve para treinar. O empenho dele durante a partida foi notório. Vai evoluir à medida que for conhecendo melhor os companheiros. Foi importante para tirar a ansiedade dos mais jovens também, que querem dar a bola para ele. Ronaldinho decidirá muitos jogos ainda", projetou o treinador.

ASSISTA AO GOL DA PARTIDA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.