Ronaldinho segue exemplos de camisas 10

Ronaldinho Gaúcho quer seguir o exemplo de outros craques que se consagraram com a camisa 10 da Seleção Brasileira. Ele tem como referência Pelé, Rivelino e Zico e mais recentemente Rivaldo. Não gosta de destacar apenas um desse ´quarteto mágico´. Revela, porém, que sempre esteve mais próximo do futebol de Rivelino. "Meu irmão Assis, ex-jogador de futebol, era o admirador número 1 do Riva e então eu sempre tive em casa uma aula de Rivelino, com fitas de vídeo, fotos e informações sobre ele", contou. O meia-atacante do Barcelona e da seleção, eleito o melhor do mundo em 2004, não deixa de citar Pelé como seu ídolo no futebol. Só desfrutou, no entanto, das lindas jogadas do ´rei´ depois de adolescente, também por meio de teipes. "Ele é o nosso maior exemplo de atleta". Sobre Zico, mais elogios, pelos dribles que deixavam os adversários sem ação e pelo poder de finalização. "Foi um craque sem contestação, dispensa comentários." Rivaldo também foi lembrado por Ronaldinho Gaúcho como outro atleta que manteve a tradição da camisa 10 da seleção. "Deve ter mais gente, que eu não vi jogar, com esse mérito de ter eternizado para o torcedor do Brasil a imagem dessa camisa." A definição sobre quem deveria vestir a camisa 10 depois de Rivaldo se afastar da seleção foi uma tarefa que coube mais aos próprios atletas. No início, houve outros candidatos dispostos a escolhê-la. Mas Ronaldinho Gaúcho foi se sobressaindo com talento e gols e agora não há quem questione a capacidade do dono da 10 do Brasil. "Eu sei que faço o máximo para honrar a tradição. Acho que estou aprovando", disse Ronaldinho Gaúcho, um dos mais procurados no hotel da seleção para dar autógrafos em camisas oficiais ou não da seleção, mas com o número 10 estampado no verso.

Agencia Estado,

12 de outubro de 2005 | 09h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.