Ronaldinho terá de explicar dinheiro

O meia Ronaldinho Gaúcho - do Barcelona e da Seleção Brasileira - e seu irmão Roberto de Assis, terão de explicar à justiça francesa a origem de mais de 11 milhões de dólares que teriam recebido em 2001 numa conta bancária suíça, na transferência do Grêmio para o Paris Saint-Germain. A informação é do jornal Le Figaro, em sua edição desta quinta-feira.As declarações foram feitas pelo ex-jornalista Jérome Valcke, atual diretor da Fifa Marketing AG (filial da Fifa estabelecida na Suíça) aos agentes da Direção Nacional de Investigações Financeiras.Em 2001, Valcke era o chefe do Sport, filial holandesa do CanalPlus, que teria sido criado especialmente para efetuar os trâmitesfinanceiros ligados à transferência de Ronaldinho Gaúcho do Grêmio para o Paris Saint-Germain. Convocado como testemunha, Valcke explicou que a conta na Suíçafoi aberta a pedido de Roberto de Assis, antes da transferência, eque primeiro foram depositados 2,6 milhões de dólares e depois mais9 milhões de dólares, diz o jornal. Para ocultar essa operação, os responsáveis pela sociedade tinhamcriado para os irmãos Assis uma fundação luxemburguesa com uma contano banco UBS de Genebra, acrescenta.Valcker teria afirmado ainda, que o então presidentedo Paris Saint-Germain, Laurent Perpere, e o ex-proprietário do CanalPlus, Pierre Lescure, estavam cientes da operação, que era umacondição inegociável de Ronaldinho Gaúcho para ir para o clubefrancês. A justiça francesa investiga as supostas irregularidades nastransferências de jogadores do Paris Saint-Germain entre 1998 e2003.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.