Sergio Moraes/Reuters
Sergio Moraes/Reuters

Ronaldo absolve Diego Costa e 'sugere' Messi na seleção

Ex-jogador considera escolha por defender outras seleções como algo natural

Sílvio Barsetti, Agência Estado

10 de outubro de 2013 | 16h13

RIO - O astro Ronaldo absolveu nesta quinta-feira o atacante Diego Costa ao avaliar como natural a possibilidade do jogador brasileiro defender a seleção da Espanha, mas, em tom de brincadeira, sugeriu o Brasil aproveite a brecha deixada pela Fifa para naturalizar o craque argentino Lionel Messi.

"Acho que o Diego Costa já atou pela seleção brasileira. Não sei como está, mas acho que o regulamento da Fifa não o deixa jogar pela Espanha. Se o Messi não tivesse jogando pela Argentina, eu gostaria mais do Messi do que do Diego, apesar do Diego ser meu amigo", afirmou. Diego Costa já foi convocado para defender a seleção brasileira pelo técnico Luiz Felipe Scolari, em março, mas depois disso não foi mais lembrado. Artilheiro do Campeonato Espanhol, o atacante está nos planos do técnico Vicente del Bosque para defender a seleção da Espanha.

Ronaldo lembrou que o caso de Diego Costa não chega a ser inédito. "Não é uma novidade, aconteceu com jogadores brasileiros, como o Deco com a seleção portuguesa. Adoraria que tivesse um Messi, um Cristiano Ronaldo rejeitado que pudesse jogar pela seleção brasileira", disse. Morando atualmente na Inglaterra, onde estuda inglês e faz outros cursos, Ronaldo elogiou o início da passagem do atacante Neymar pelo Barcelona e apostou que o brasileiro logo será o melhor jogador do mundo. "Neymar já está melhorando e vai estar melhor ainda na Copa do Mundo. Ele será em breve o melhor do mundo, mas, por enquanto, o extraterrestre é o Messi", comentou.

Sem entrar em detalhes, Ronaldo também declarou, durante entrevista coletiva de membros do governo federal, do Comitê Organizador Local da Copa do Mundo de 2014 e da Fifa, que tomou conhecimento do movimento Bom Senso FC, dos jogadores brasileiros, que pedem mudanças no calendário do futebol nacional. Ele disse que não leu detalhadamente sobre o assunto, mas garantiu aprovar uma discussão sobre o tema.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.