Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Ronaldo admite estar negociando com Manchester City

Jogador, que segue se recuperando de lesão, foi só elogios ao time dos brasileiro Robinho, Jô e Elano

Reuters

19 de setembro de 2008 | 07h58

O atacante brasileiro Ronaldo admitiu nesta sexta-feira, que está negociando com o Manchester City. O jogador, que se recupera de uma lesão no joelho que chegou a ameaçar sua carreira, espera voltar a jogar em dois ou três meses.   Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão     "É uma grande possibilidade", disse Ronaldo ao diário de esportes francês L'Equipe, quando perguntado se iria para o Campeonato Inglês. "O Manchester City está com um projeto incrível, com ótimos jogadores", acrescentou, referindo-se à renda do clube, aumentada com sua aquisição por uma empresa de Abu Dhabi. "É um projeto de longo prazo que pode ter resultados imediatos, porque o City quer chacoalhar a hierarquia do futebol mundial", disse Ronaldo, que rompeu um tendão no joelho esquerdo quando jogava pelo Milan, em fevereiro. O City confirmou nessa terça-feira ter tido interesse inicial por Ronaldo, mas insistiu que não está mais tentando contratar o jogador. Se for para o City, Ronaldo jogará junto com Robinho, que saiu do Real Madrid e foi contratado no mês passado por 32,5 milhões de libras (58,6 milhões de dólares), um recorde para um clube inglês. Ronaldo, cuja carreira foi marcada por sérias lesões, disse que está confiante em sua volta. "É um desafio difícil", disse o brasileiro, que completa 32 anos na semana que vem. "Tenho tanta paixão, tanto amor pelo futebol que estou pronto para fazer todos os esforços e sacrifícios necessários. Em dois ou três meses, acho que posso voltar a competir". Considerado o melhor jogador do mundo em seu auge, Ronaldo não está sem clube no momento e disse que não mantém contato com o Milan ultimamente. Ele mencionou uma ida para a França, em particular para o Paris St Germain, como uma possibilidade. "Nunca joguei na França, mas adoraria", disse. "Adoro Paris. Tenho um flat lá e vou para lá frequentemente. O PSG está com um bom projeto agora. Eles recrutaram bons jogadores e formaram um time capaz de ganhar o título". (Por Patrick Vignal)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.