JF Diorio / Estadão Conteúdo
JF Diorio / Estadão Conteúdo

Ronaldo afirma que era mais difícil ser melhor do mundo quando jogava

Ex-centroavante da Seleção Brasileira também comenta transferência de Neymar para o PSG

O Estado de S.Paulo

04 Janeiro 2018 | 10h21

O ex-atacante Ronaldo se tornou mais um a se manifestar sobre a polarização entre Messi e Cristiano Ronaldo no futebol mundial e a fazer uma comparação entre o nível da geração de futebolistas em que jogava e a atual. Em entrevista ao jornal alemão Bild, o ex-camisa nove da seleção brasileira afirmou que era mais difícil ser melhor do mundo na sua época.

+ Roberto Carlos diz que CR7 joga mais que Ronaldo e Ronaldinho Gaúcho

+ Capital paulista tem domingo especial com eventos dos Ronaldos

"Na minha geração, a concorrência era muito maior que agora, sem querer menosprezar Messi e Cristiano Ronaldo, que lutarão pelo título de melhor do mundo nos próximos anos. Mas na minha época tínhamos Zidane, Rivaldo, Figo e eu, e logo depois Ronaldinho (Gaúcho). Essa foi uma geração em que ser o melhor era muito mais difícil", afirmou Ronaldo à publicação alemã.

A declaração é parecida com a de Rivaldo, que afirmou recentemente que, se jogasse atualmente, teria mais do que apenas uma Bola de Ouro, e também que a polarização entre o argentino e o português mostra que os outros jogadores não são tão bons.

Na entrevista, Ronaldo comentou ainda sobre a saída de Neymar do PSG. "Não sei o que há por trás da sua transferência, talvez um problema com a presidência do Barcelona, como aconteceu comigo. A saída de Neymar do Barcelona tem muitos paralelismos com o que aconteceu em 1997. Fui para a Inter de Milão quando a liga italiana era muito mais forte que a liga francesa de hoje", declarou Ronaldo, vendo coincidências e diferenças entre o seu caso e o do atual camisa dez da seleção brasileira.

A mágoa de Ronaldo com a diretoria do Barcelona veio à tona em outra ocasião recente, quando o ex-jogador, ao comentar o caso de Philippe Coutinho, que deseja sair do Liverpool para ir ao clube espanhol, afirmou que "os brasileiros sempre são tratados mal no clube no final da passagem, apesar de todas as contribuições e dedicação", lembrando as situações de Romário, Ronaldinho Gaúcho, Neymar e dele próprio em entrevista para o canal de televisão Esporte Interativo.

Mais conteúdo sobre:
Messi Cristiano Ronaldo Ronaldinho

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.