Ronaldo: "Ainda não sei o que fazer"

Ronaldo está diante de um impasse. Ele quer sair da Inter de Milão - de preferência, para o Real Madrid -, mas o clube italiano não pensa em negociá-lo. A novela está tão enrolada que nem o próprio jogador sabe o que será do seu futuro. ?Ainda não decidi o que vou fazer?, admitiu o brasileiro, em entrevista publicada nesta segunda-feira pelo jornal italiano ?Ill Gazzettino?. Segundo Ronaldo, essa semana será decisiva para a solução do caso, já que ele terá uma conversa definitiva com o presidente da Inter, Massimo Moratti, que voltou de férias no domingo. Apesar do desejo de sair, o artilheiro da Copa do Mundo da Coréia/Japão, com 8 gols, admitiu até a possibilidade de continuar no clube de Milão, caso o dirigente italiano lhe peça para ficar. ?Se fosse por Moratti, a quem considero um segundo pai, ficaria a vida inteira na Inter. Mas a decisão envolve outras questões técnicas e profissionais, não somente dinheiro?, disse o atacante brasileiro, para depois completar que se o presidente da Inter pedir para que fique, ?jogarei com o máximo de profissionalismo, buscando marcar gols e ajudar a equipe?. A possibilidade voltar a jogar na Espanha, onde já defendeu o Barcelona, parece encantar Ronaldo. Principalmente por ser no Real Madrid, um clube com craques como Zidane e Figo. ?O futebol espanhol é similar ao do Brasil. É mais alegre, mais ofensivo e menos tático do que o italiano?, afirmou. Apesar de ter sido muito criticado pela torcida da Inter, revoltada com seu pedido para deixar o clube, Ronaldo revelou que não se preocupa com a ira do torcedor caso fique mesmo em Milão. ?Os primeiros gols e as primeiras vitórias cancelarão todas as más recordações?, acredita ele. Até a definitiva conversa com Moratti e definição sobre o seu futuro, Ronaldo segue treinando sozinho no centro de treinamentos da Inter, de Milão, enquanto seus companheiros já se preparam para o início da temporada 2002/2003.

Agencia Estado,

12 Agosto 2002 | 10h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.