Ronaldo dá um susto no último coletivo

Um susto tomou conta, nesta sexta-feira, da comissão técnica da seleção após o coletivo interrompido pela neblina que caiu na Granja Comary. Ronaldo sentiu dores musculares na coxa direita e seguiu para Brasília em observação. O jogador levou as mãos na virilha no final do trabalho, após ter feito um gol no empate por 1 a 1. Teria havido um outro gol do time titular, mas ninguém o viu por causa da forte neblina. Foi a primeira queixa de Ronaldo desde que ele chegou a Teresópolis. O técnico Carlos Alberto Parreira, depois de ouvir o médico José Luís Runco, qualificou o problema de apenas um incômodo. "Em princípio, não pensamos em jogar sem o Ronaldo", comentou o técnico. Runco também não vê muitos problemas na contusão. Para ele, Ronaldo e alguns outros jogadores reclamaram de dores por conta dos exercícios feitos em começo de temporada na Europa. Nada, segundo ele, que o preocupe. "Medicina não é uma ciência exata, mas não vejo nada de muito sério nessas dores do Ronaldo. É um incômodo natural em começo de temporada na Europa. Em princípio, ele fica em observação até as próximas 24 horas. Vamos esperar para ver como ele acordará no dia seguinte. Não vejo problemas", comentou Runco, tranqüilizando o grupo e o técnico Parreira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.