XP
XP
Imagem Robson Morelli
Colunista
Robson Morelli
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Ronaldo dá uma aula de gestão e tem tudo planejado para assumir o comando do Cruzeiro neste mês

Atacante se cercou de profissionais competentes para desvendar as armadilhas e abrir todas as gavetas do clube antes de assumir 90% do controle acionário do time que o revelou; seu carisma atinge conselheiros e torcedores e será útil na busca de patrocinadores

Robson Morelli, O Estado de S.Paulo

07 de abril de 2022 | 08h00

Ronaldo não está no Cruzeiro por diversão. Desde que se apresentou para assumir o comando do Cruzeiro, o empresário Ronaldo Nazário se cercou de profissionais competentes que o guiassem na compra do clube que o lançou no futebol com a promessa de investimento de R$ 400 milhões. Até agora, o atacante não anunciou nenhum parceiro que estivesse dividindo com ele a conta do negócio. Portanto, Ronaldo estaria tirando das próprias contas os US$ 90 milhões aproximadamente para fazer a transação e adquirir 90% do controle acionário do clube de Minas Gerais. Ronaldo dá passos firmes e estudados na transação de sua vida. Ele é um ótimo empresário.

Ele não vai se descapitalizar na compra. Começaria com investimento de R$ 50 milhões, cerca de US$ 10 milhões. Seus pares dizem respeito somente ao trabalho de investigar todas as contas, receitas e dívidas do time que está comprando. Não há conversas paralelas. Nem promessas que ele não acredita que possa cumprir. O atacante estipulou prazos para ter tempo de descobrir tudo o que os últimos dirigentes do Cruzeiro esconderam dos torcedores. Em quatro meses de trabalho, ele é mais querido no clube do que dirigentes que passaram a vida dentro do Cruzeiro.

Os cartolas mineiros não estão negociando com um "zé-ninguém", tampouco com um bobalhão. Ronaldo Nazário está longe de ser um gestor otário, capaz de ser enganado e passar por trouxa nas negociações. Mesmo se não souber tudo o que está vendo nos corredores da Toca da Raposa, ele não vai assinar papel em branco.

Ronaldo faz negócios no futebol muito antes de ter parado de jogar. Sabe todos os atalhos de um clube de futebol, sempre foi bem relacionado e tem em seu carisma uma porta de entrada para patrocinadores que queiram se juntar a ele. Pediu a cumplicidade dos torcedores e foi prontamente atendido no programa de sócio-torcedor. Nesta semana, após ter sua proposta aceita e aprovada pelo Conselho Deliberativo do Cruzeiro, tratou de afirmar que agora ele terá como acordar parcerias para o clube. Já tem algumas engatilhadas que farão seu investimento inicial ficar pequeno.

Ronaldo vê no Cruzeiro um clube com potencial de obter receita anual de R$ 500 milhões, ou mais. Tem de voltar para a primeira divisão neste ano, seu maior objetivo. Refazer seus contratos de TV, formar uma equipe competitiva e convencer que apoiar o clube é um bom negócio. Ronaldo já pensou em tudo. Correu para ter a aprovação do conselho para poder inscrever jogadores o quanto antes na Série B. Pagou dívidas que impediriam o clube de atuar, mesmo não tendo garantias do negócio. Estipulou prazos e metas. Deixou de viajar para fazer seu papel de dirigente presente e responsável.

Tem agora até o dia 18 para preparar a papelada, já pronta, mas que sofrerá algumas alterações por novas conquistas, como a inclusão das Tocas da Raposa I e II e um pedido de recuperação judicial ou extrajudicial do clube. Também haverá no contrato uma cláusula de pagamento da SAF (Sociedade Anônima do Futebol) de R$ 200 milhões de impostos até 2032.

Há um apelo para que o torcedor cruzeirense assuma o time desde a primeira partida na Segundona, de modo a lotar o Mineirão em todos os jogos na competição. Tem ainda a Copa do Brasil, cujas cotas de participação já estão na casa dos R$ 3 milhões. Só do programa sócio-torcedor, o clube arrecada perto de R$ 20 milhões por ano. Quer bater nos R$ 25 milhões. Bilheteria e TV serão os carros-chefe nesse começo. Ronaldo espera anunciar um patrocinador forte.

Em seu discurso após a aprovação unânime dos conselheiros, Ronaldo foi astuto. "Só há um Cruzeiro." Do alto da janela do prédio onde aconteceu a reunião, ele acenou para os torcedores que acompanharam a votação. Estava aliviado. Suado até. "Agradeço a confiança. Não temos motivos para comemorar e não temos tempo a perder. Arregaçaremos nossas mangas e trabalharemos incansavelmente", disse.

Ronaldo também estava feliz. Recebeu abraços de conselheiros e de torcedores. Ele encarou a plateia muito mais confiante do que passava pelos seus marcadores. Ronaldo não é um cartola. É um investidor com ambições financeiras e esportivas. Ele fará de tudo ao seu alcance para recolocar o Cruzeiro na primeira divisão. Antes do fim deste mês, tomará posse como o mais recente dono do Cruzeiro, clube que o lançou para o mundo. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.