Ronaldo decide o clássico madrileno

Depois de ter voltado a marcar depois de um ano pela seleção brasileira, Ronaldo provou que recuperou o faro de gol. Neste sábado, ele praticamente decidiu sozinho o clássico da capital espanhola a favor do Real Madrid. Marcou dois gols e participou do terceiro na vitória por 3 a 0 sobre o Atlético, levando seu time à liderança provisória, com 15 pontos, um a mais que o Getafe, que joga no domingo. No entanto, deixou o gramado chorando após se machucar no lance do último gol.O Real começou o jogo com duas mudanças feitas por Vanderlei Luxemburgo: Zidane no lugar de Guti e Robinho no de Júlio Baptista, formando o ataque com Ronaldo e Raúl. O esquema ofensivo deu resultado logo no começo: aos nove minutos, Raúl sofreu pênalti, cobrado com categoria por Ronaldo. O Atlético tentou pressionar, mas esbarrou na má pontaria de Fernando Torres e na boa atuação do goleiro Casillas.No segundo tempo, o time da casa continuou em cima. Melhor para o Real, que aproveitou como quis os contra-ataques. Aos 16, Guti, que entrara na vaga de Zidane, deu bela assistência a Ronaldo, que ampliou.Nos acréscimos, o zagueiro colombiano Perea marcou contra em disputa de bola com Ronaldo, que se contundiu e saiu de campo chorando.

Agencia Estado,

15 de outubro de 2005 | 19h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.