Ronaldo e Kaká trocam descanso pelo golfe

O técnico Carlos Alberto Parreira gostaria que os atletas da seleção brasileira aproveitassem a tarde desta segunda-feira para descansar ao máximo, depois da longa viagem da maioria deles da Europa até o Brasil e de mais algumas horas de vôo do Rio e São Paulo para Assunção. Mas Ronaldo e Kaká preferiram uma atividade extra na chegada à capital paraguaia. Eles disputaram uma partida de golfe, sob sol forte, por quase uma hora e meia, na vasta área do Hotel Yacht Golf Club, onde a delegação do Brasil está hospedada. A dupla mostrou bastante disposição e foi acompanhada no início por Júlio Baptista. ?Não houve nenhuma proibição para que os jogadores ficassem na cama. Hoje era descanso para não ir ao treino. Havia uma certa liberdade, uma certa abertura?, comentou depois Parreira.Sobre o cansaço e desgaste físico do grupo, o treinador disse que isso terá de ser superado no confronto de quarta-feira, com o Paraguai, pelas Eliminatórias do Mundial de 2006. ?Vamos ter de esquecer todas as adversidades quando entrarmos em campo?, avisou Parreira. Ronaldo destacou-se no golfe, talvez já calejado pelos treinos no campo do condomínio onde mora em Madri. E Kaká não ficou muito atrás. Com desenvoltura, chamou a atenção do colega e recebeu até um elogio. ?Esse moleque aprende tudo muito rápido?, disse o atacante do Real Madrid. A imprensa só pode acompanhar a disputa de longe. Ainda assim, não passou despercebido o lance em que Kaká lançou a bolinha num lamaçal e não conseguiu retirá-la. O jogador do Milan tem praticado o esporte na Itália, mantendo o hábito que já tinha quando defendia o São Paulo. Seu companheiro nas partidas de golfe na capital paulista era justamente Júlio Baptista, outro que jogava no clube do Morumbi.Júlio Baptista tentou fazer frente a Ronaldo e Kaká. Esbarrou na falta de treinos. ?Estou sem jogar há mais de sete meses?, explicou. Tanto que, após um lançamento em que a bolinha tomou um rumo inesperado e se perdeu na margem do rio que corre ao lado do hotel, ele desistiu de continuar na disputa. Em seguida, o volante do Sevilla trocou de atividade e foi dirigir o carrinho que leva os tacos. Atolou no lodo e voltou para a concentração.

Agencia Estado,

29 de março de 2004 | 19h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.