Ronaldo e Roberto Carlos perto de Atenas

O projeto olímpico da seleção sub-23 inclui os craques Ronaldo e Roberto Carlos, do Real Madrid. Os dois serão convocados pelo técnico Ricardo Gomes, desde que a equipe consiga a classificação para os Jogos de Atenas 2004. O tema continuará sob sigilo, até para manter a motivação dos atletas que automaticamente cederiam a vaga para a dupla. Nesta sexta-feira, começa a reta final de preparação do Brasil para a disputa do Torneio Pré-Olímpico, a partir de 7 de janeiro, no Chile. Vinte jogadores relacionados por Gomes se apresentam à tarde no Rio, de onde seguem para a Granja Comary, em Teresópolis, região serrana do Estado.Os 20 disputam, a princípio, 15 vagas. Isto porque apenas 18 vão poder ser inscritos para a Olimpíada, que será realizada de 13 a 29 de agosto. E Gomes, mais de uma vez, disse publicamente que não abre mão de contar com três atletas com mais de 23 anos para representar o Brasil na competição. Ele, no entanto, mantém postura discreta com relação ao assunto. Quer avançar gradativamente. Ou seja, falar sobre os Jogos somente depois de garantir a classificação no Chile.Ronaldo já manifestou várias vezes o interesse em fazer parte do grupo olímpico. Roberto Carlos, também. Na terça-feira, o lateral-esquerdo do Real Madrid disse novamente que deseja participar dos Jogos, que está à disposição do treinador. Gomes defende a idéia de aproveitar o texto do regulamento da Olimpíada e assim reforçar o time para Atenas. E não se recusaria a convocar Ronaldo e Roberto Carlos, com quem tem ótimo relacionamento. Os dois são, hoje, os melhores jogadores do Brasil em atividade no exterior e contam ainda com o apoio da comissão técnica da seleção principal para integrar o grupo olímpico.A escolha de Ronaldo, Roberto Carlos e mais um atleta veterano viria ao encontro da posição da diretoria da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), ávida em não repetir o erro dos Jogos de Sydney, em 2000, quando Vanderlei Luxemburgo não quis convocar três jogadores com idade acima de 23 anos e o Brasil acabou eliminado na segunda fase do torneio.Para a entidade, passou a ser prioridade ganhar a medalha de ouro olímpica, inédita para o futebol brasileiro. A conquista consagraria a quinta administração consecutiva de Ricardo Teixeira na CBF, depois dos títulos mundiais recentes das seleções sub-17, sub-20 e principal.Um fator que certamente contribuiria para a presença de Roberto Carlos e Ronaldo na seleção sub-23 é a ausência de compromissos do Brasil nas eliminatórias do Mundial de 2006 durante o período de disputa das Olimpíadas de Atenas. A seleção dirigida por Carlos Alberto Parreira jogará em 4 de setembro, contra a Bolívia, em cidade brasileira a ser definida pela CBF.Portanto, haveria tempo suficiente para Ronaldo e Roberto Carlos se apresentarem ao grupo, possivelmente em Teresópolis, sem prejuízo para a equipe. Outro aspecto importante refere-se ao interesse do público, em geral, pela transmissão das partidas do Brasil na Grécia. Em 2000, o nome de Romário esteve cotado até o último momento. Com a decisão de Luxemburgo de deixá-lo fora dos Jogos de Sydney, a TV Globo teve dificuldades de vender cotas de patrocínio para promover o torneio de futebol. Com Ronaldo e Roberto Carlos na seleção, isso certamente seria mais do que contornável.O terceiro nome da lista complementar poderia ser definido a partir das observações de Gomes no Pré-Olímpico. Um goleiro experiente ou, quem sabe, um volante campeão do mundo, como Gilberto Silva - qualquer das duas possibilidades é viável. A opção por Kaká continuaria em pauta. Mas o atleta do Milan não seria incluído na relação dos mais velhos. Por ter menos de 23 anos, concorreria a uma vaga direta entre os selecionados para o torneio classificatório no Chile.Amistoso - Está confirmado para 18 de fevereiro amistoso entre Brasil e Holanda, na Europa. O local do jogo ainda não foi definido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.