Ronaldo e Schumacher ajudam crianças

Um amistoso de futebol cheio de craques das pistas e dos gramados. Assim será o ?Jogo das Estrelas?, evento beneficente da campanha Criança Esperança, promovida pela Rede Globo e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), que ocorre nesta quarta-feira, às 12h30, no Maracanã. As principais figuras em campo serão o atacante Ronaldo, da Inter de Milão, e o tricampeão mundial de Fórmula 1, Michael Shumacher. Os dois formarão a dupla de ataque de um dos times. Alguns ex-jogadores consagrados, como Zico e Júnior, também têm participação confirmada.Será a primeira vez, desde a cirurgia no joelho direito em abril do ano passado, que Ronaldo jogará diante do público. Há cerca de dois meses, com a contusão cicatrizada, ele voltou a participar de peladas no Rio, com amigos e auxiliares. Em seu retorno, o atacante brasileiro terá ao seu lado um admirador e um ídolo. Jogador de futebol frustrado, o alemão Michael Schumacher fez um exigência para participar do evento: atuar no mesmo time de Ronaldinho. O craque da Inter de Milão também fez um pedido: queria Zico, seu ídolo de infância, em sua equipe. Foi atendido e será formado um trio de astros.A presença de Schumacher não chega a ser novidade, pois o piloto costuma participar de jogos de futebol na Alemanha - integra um time amador em seu país. O tricampeão mundial da F1 já avisou que não falará com a imprensa durante o evento, enquanto que Ronaldo prometeu dar uma entrevista coletiva.Ainda estão confirmadas as participações dos ex-jogadores Roberto Dinamite, Bebeto, Branco, Ricardo Gomes, Renato Gaúcho e Jairzinho. Da Fórmula 1 virão os pilotos Giancarlo Fisichella, Jarno Trulli e Luciano Burti. A presença de Rubens Barrichello no Maracanã não está certa.Será cobrado um ingresso de R$ 5 e a renda será destinada à campanha Criança Esperança. A Inter de Milão ainda pediu, por meio de sua página na internet, que os torcedores façam doações para o programa ou para a Organizações das Nações Unidas (ONU), que tem Ronaldo como embaixador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.