Ronaldo: esse estádio não me ajuda muito

O Brasil ficou no 0 a 0 com a França hoje, no "jogo do século? disputado no Stade de France, na comemoração dos 100 anos da Fifa, numa partida que de amistosa não teve nada. Algumas jodadas ríspidas e vontade de vencer foram observadas de lado a lado. As duas seleções criaram chances de gol, sobretudo a brasileira, mas não chegaram ao gol. O atacante Ronaldo, que em 1998, na derrota do Brasil por 3 a 0 para os franceses, entrou em campo abatido por uma convulsão que sofreu poucas horas antes daquela decisão, voltou hoje ao Stade de France e, novamente, não fez gol. Ele lutou, teve pelo menos três boas chances, mas não conseguiu aproveitá-la. "Acho que esse estadio não me ajuda muito?, disse, bem-humorado, após a partida. "Tive boas chances, mas o goleiro francês foi bem e eu também não acertei o alvo.? Ronaldo, porém, achou bastante proveitoso o amistoso contra o time comandado por Jacques Santilli. "Foi uma boa preparação para a partida contra a Argentina (dia 2 de junho, pelas Eliminatórias, em Belo Horizonte?, considerou o Fenômeno. O lateral-esquerdo Roberto Carlos lamentou o fato de a bola não ter entrado. "Mas acabamos com essa história de perder sempre para a França. A partida foi boa, de amistosa não teve nada. Os dois times criaram boas chances, sobretudo o Brasil. Pena que não saiu gol. Teve aquela minha bola na trave...? O atacante Ronaldinho Gaúcho também não viu nada de amistoso na partida. "O jogo foi duro, bastante disputado, e para nós serviu como uma boa preparação para a partida contra a Argentina?, afirmou. Ronaldinho não lamentou especificamente o fato de o Brasil não ter ganho a partida. "Seria bom, mas o que vale é a preparação. E jogamos bem, se continuarmos assim, vamos dar muito trabalho aos adversários.? Roberto Carlos concordou: "Se o Brasil continuar nessa evolução, vamos passar pela Argentina e não vamos sofrer como nas eliminatórias passadas.? O zagueiro Luisão, elogiado por Parreira hoje junto com Cris, sentia-se bastante satifeito por ter aproveitado a oportunidade, mas não faz planos ambiciosos. "Ser titular, por enquanto, é algo muito difícil, com os zagueiros que o Brasil tem. Mas fico feliz em ser útil e vou continuar lutando para estar sempre entre os convocados. Esse é o meu objetivo no momento?, concluiu o zagueiro do Benfica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.