Ronaldo Fenômeno admite que foi mal na temporada 2010

Ronaldo Fenômeno admite que foi mal na temporada 2010

Após brilhar em 2009, atacante do Corinthians diz que lesões o atrapalharam

RAFAEL VERGUEIRO - estadão.com.br,

03 de dezembro de 2010 | 10h40

SÃO PAULO - Ronaldo não ficou contente com o seu desempenho no Corinthians na temporada 2010. Após brilhar em seu primeiro ano no clube, com as conquistas do Campeonato Paulista e Copa do Brasil, o atacante voltou a ser assombrado pelo fantasma das contusões e contribuiu menos do que esperava.

"O ano realmente foi ruim. Joguei poucas vezes, bem abaixo do que eu gostaria. Foi um ano de lesões chatas, persistentes, espero que elas deixei eu ficar em paz para fechar com chave de ouro em 2011", declarou. No fim do ano que vem, o Fenômeno deve encerrar a carreira.

Apesar de admitir o rendimento abaixo do esperado, Ronaldo sabe que é decisivo. Tanto que no Brasileirão, nos 10 jogos em que esteve em campo, o Corinthians não perdeu - foram seis vitórias e quatro empates. "Nas vezes que eu pude jogar, sei que correspondi", declarou.

Mas ele mesmo quer acabar com esta dependência. Tanto que depois da partida contra o Vitória em Salvador, quando saiu de campo machucado e o Corinthians não passou de um empate por 1 a 1, até conversou com o técnico Tite e o presidente Andrés Sanchez sobre o assunto.

"Minha presença em campo fortalece o grupo. Mas quando eu não estou isso não deveria se tornar um problema. É algo que temos que resolver para o ano que vem, eu não vou atuar em todos os jogos", confessou.

Assim como aconteceu em 2010, o Fenômeno vai priorizar a Libertadores, competição que o Corinthians jamais conquistou.

Capitão. Com a aposentadoria do zagueiro William, que para no fim deste ano, a faixa de capitão do Corinthians está sem dono para 2011, mas Ronaldo, apesar da experiência, descarta assumir a responsabilidade.

"Eu não gosto de ser capitão não. Algumas oportunidades até já surgiram aqui e eu recusei. Não tenho o perfil falante, palestrante, meu estilo de liderança é diferente, a faixa de capitão me atrapalha neste sentido", assinalou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.