Reuters
Reuters

Ronaldo Fenômeno diz ser 'natural' ser remunerado como presidente do Valladolid

Ex-jogador lembrou que ocupa o cargo 'há mais de dois anos sem cobrar um euro sequer'

Redação, Estadão Conteúdo

02 de dezembro de 2020 | 11h21

Presidente do Valladolid, time que disputa a primeira divisão do Campeonato Espanhol, Ronaldo Fenômeno declarou, em entrevista coletiva, que "é natural" receber uma remuneração por ser mandatário do clube. O pagamento será aprovado na próxima assembleia de acionistas. O ex-jogador ainda lembrou que ocupa o cargo "há mais de dois anos sem cobrar um euro sequer".

"Não recebi nenhum euro nesses mais de dois anos e agora entendo que a situação do clube é mais confortável. Como estou trabalhando no desenvolvimento da marca e realizando novos projetos para que agregue mais valor, é natural que receba", argumentou o brasileiro, em entrevista concedida no estádio José Zorrilla, em Valladolid.

Sobre a empresa Tara Sports, da qual é o único acionista e que tem participação no clube, com a qual pediu um empréstimo de 9 milhões de euros (R$ 56,7 milhões), Ronaldo Fenômeno não quis entra em polêmica e explicou que se tratava de um assunto relacionado a "investimentos pessoais".

"Se, como você diz, as contas são públicas, ponha o que quiser. Não vou responder suas perguntas", afirmou o ex-jogador ao ser perguntado sobre o assunto, depois de ter dito anteriormente que não pediu nenhum empréstimo quando adquiriu o Valladolid e que pagou com o próprio patrimônio.

Quanto ao cartaz que foi colocado no estádio para pedir a saída do técnico Sergio Gonzalez e cobrar de Ronaldo Fenômeno "menos tênis e mais futebol", o brasileiro argumentou que o clube tem um canal para reclamações e sugestões e que "nada disso chegou".

"Acho que as pessoas têm que estar felizes com o que foi alcançado nestes anos. Todas as mudanças que foram feitas, tanto na estrutura como na imagem e no âmbito esportivo, com a conclusão das obras no estádio e nos anexos. É preciso lembrar como estava quando eu cheguei", completou o brasileiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.