Reprodução/Instagram
Reprodução/Instagram

Ronaldo Fenômeno parabeniza Cruzeiro pelos 100 anos: 'Um século de histórias'

Ex-jogador, que ainda não era chamado de Fenômeno na época, atuou no clube entre 1993 e 1994

Redação, Estadão Conteúdo

03 de janeiro de 2021 | 13h08

Cria das categorias de base do Cruzeiro na década de 90 - com passagem marcante pelo time profissional entre 1993 e 1994 -, o ex-atacante Ronaldo Fenômeno publicou mensagem nas redes sociais parabenizando o clube pelos 100 anos de fundação, completados no último sábado. Ele agradeceu pelo espaço dado pelo time no início da sua carreira.

"Um século de história! Parabéns ao Cruzeiro e muito obrigado por ter me projetado para o mundo. #CruzeiroCentenário", escreveu Ronaldo Fenômeno em seu Instagram, mostrando uma foto sua com a camisa do clube em 1993. O Cruzeiro respondeu em seguida na mesma postagem. "Você faz parte desta história. Fenômeno! Obrigado!".

Ronaldo, que ainda não era chamado de Fenômeno quando atuou pelo clube mineiro, jogou entre o segundo semestre de 1993 e o primeiro de 1994. No pouco tempo em Belo Horizonte, virou unanimidade entre os torcedores. Marcou 56 gols em 58 jogos (sendo 55 como titular), foi artilheiro da Supercopa dos Campeões da Libertadores aos 16 anos, artilheiro do Campeonato Mineiro e convocado para a Copa do Mundo de 1994.

O hoje presidente do Valladolid, clube da primeira divisão da Espanha, foi escolhido pela Fifa como o melhor jogador do mundo por três vezes: 1997, 1998 e 2002. A venda do Cruzeiro ao PSV Eindhoven, da Holanda, aconteceu em agosto de 1994. Na época, a negociação girou em torno dos US$ 6 milhões (R$ 31,1 milhões na cotação atual). Ronaldo ainda recebeu mais US$ 2 milhões (R$ 10,4 milhões) pela negociação.

Pela seleção brasileira, Ronaldo marcou 67 gols em 98 partidas, atrás apenas de Pelé. Em quatro Copas do Mundo, foi campeão em 1994 (Estados Unidos) e 2002 (Coreia do Sul e Japão, onde foi o artilheiro com oito gols). Marcou 15 vezes em 19 jogos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.