Turim Alessandro Di Marco/EFE
Turim Alessandro Di Marco/EFE

Ronaldo muda de lado, mas ainda mantém laços com a seleção brasileira

Peça importante da Família Scolari de 2002, Fenômeno continua a gozar do carinho do treinador e o respeito dos jogadores

ROBSON MORELLI, O Estado de S. Paulo

14 de junho de 2013 | 08h19

BRASÍLIA - A pressão da seleção brasileira pode aumentar na Copa das Confederações, sobretudo nos trabalhos de finalização a gol. Isso porque existe a possibilidade de Ronaldo Fenômeno acompanhar alguns treinos do time de Felipão a partir do reconhecimento do Estádio Mané Garrincha, em Brasília, onde a equipe faz sua estreia sábado contra o Japão. Nesse caso, trata-se de uma pressão involuntária. Agora comentarista da Rede Globo, a presença do maior artilheiro de todas as Copas e até bem pouco tempo atrás ainda referência dentro da área com a camisa 9 do Corinthains pode incomodar alguns jogadores recém-chegados ao grupo nacional. Ronaldo esteve na Arena Grêmio na vitória do time contra a França, em Porto Alegre, mas limitou-se a ficar em sua cabine com Galvão Bueno. Tradicionalmente o narrador acompanha o último treino do Brasil antes de partidas oficiais em competições internacionais, e desta vez ele poderá estar acompanhado de quem entende muito de seleção.

Ronaldo muda de lado, mas ainda mantém laços com o time brasileiro. Laços afetivos, afinal ele era peça importante da Família Scolari de 2002, e continua a gozar do carinho do treinador e o respeito de todos os jogadores desse grupo. Ronaldo também cuida da carreira de Neymar fora de campo.

Nos treinos, quem mais pode sofrer com sua presença do comentarista são os atacantes, Fred, Bernard, Jô, Hulk e o próprio Neymar, embora todos sejam amigos. Fred herdou de Ronaldo camisa e posição depois de ela vestir uma dúzia de jogadores que não se firmaram na equipe de Mano Menezes nem de Dunga, e agora tem de responder à altura para um dos melhores que o mundo já viu em ação. É claro que Ronaldo, que realmente for a alguns treinos, vai observar mais, matar saudade do seu tempo do que propriamente cobrar e comentar sobre possíveis erros. O próprio Fred, que não marcou na vitória de 3 a 0 sobre os franceses, tem feito bem o seu papel em campo. Goza da total confiança de Felipão. Ronaldo tem rasgado elogios ao jogador do Fluminense. Chegou a dizer recentemente que atacante de área precisa ficar atento o tempo todo durante uma partida e acreditar em todas as jogadas, principalmente nos rebotes.

Desde que foi apresentado pela Globo como seu mais novo craque para a Copa das Confederações, Ronaldo tem se mostrado um comentarista 'paz e amor', sem polemizar e reconhecendo muito esforço nesse elenco de Felipão.

Sua presença, de certa forma, também coloca a comissão técnica e a CBF em saia justa, sobretudo quando ela precisar fazer algum trabalho fechado e longe dos holofotes da imprensa, como neste primeiro treinamento em Brasília. Ronaldo jamais seria colocado para fora do treino a pedido de Felipão, como ocorria com Tostão, campeão do mundo em 1970 e colunista da Folha de S.Paulo, na Copa da África do Sul. Ronaldo tampouco toparia se expor a essa condição. A CBF jamais faria isso com Ronaldo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.