Ronaldo não consegue 50º gol pela seleção

Nas arquibancadas pode ter sido uma festa de duas animadas torcidas verde-amarelas, mas em termos de gols, o espetáculo foi magro. Após a partida, Ronaldo, que pretendia alcançar hoje a marca de 50 gols pela seleção, reconheceu: ?Pelo volume de oportunidades criadas, o resultado foi bem curto. Eu mesmo tive três chances, duas delas bem claras?, disse o atacante. Para o técnico Carlos Alberto Parreira, o problema do Brasil foi ter abusado de jogadas pelo meio: ?Centralizamos demais o jogo, tentando entrar tabelando e não deu?. O técnico elogiou o trabalho dos laterais Cafu e Roberto Carlos e quando perguntado se o desempenho de Kaká transformou o meia do Milan em uma real ameaça a posição de Ronaldinho Gaúcho, Parreira desconversou: ?Essa é uma boa dúvida. O Ronaldinho tem um histórico recente muito bom pela seleção, mas o Kaká pode jogar sim. Quem lucra é o futebol brasileiro.? Kaká, que atravessa excelente fase pelo Milan e foi destaque durante os treinamentos do Brasil, analisou positivamente o seu desempenho: ?Tenho que aproveitar, e estou aproveitando, as oportunidades como a de hoje. A seleção foi bem, apesar de enfrentar as dificuldades de se jogar contra um time retrancado.? O ex-são paulino, no entanto reconheceu as falhas da seleção: ?A Jamaica estava bem fechada, deveríamos ter jogado mais pelas laterais.? Autor do único gol da partida, o lateral esquerdo Roberto Carlos preferiu destacar a importância da vitória para o grupo: ?O importante foi o Brasil ter vencido.? Questionado se o gol lembrou o famoso gol marcado contra a França, em 1997, o ala do Real Madrid disse: ?Este gol foi bonito, mas foi diferente. O meu trabalho com a seleção tem mais vitórias do que derrotas?, lembrou Roberto Carlos, que alcançou a marca de 100 partidas disputadas com a camisa amarela anotando seu sétimo gol. Se o Brasil não conseguiu um placar dilatado, não foi por ausência de atacantes. Kaká e Rivaldo jogaram na frente, ao lado de Ronaldo. O jogador do Real gostou do esquema: ?É sempre bom quando tem um monte de gente atacando e defendendo.Estamos alcançando este equilíbrio.? Rivaldo, que passa por um ostracismo no Milan, negou que estivesse interessado em usar a partida como vitrine para eventuais clubes ingleses: ?Com todo o respeito, não tenho nada para provar a ninguém. Todos me conhecem. Sei que existe interesse de clubes da Inglaterra, mas minha cabeça está no Milan. Lógico que quando eu não jogo, fico triste, mas não estou exigindo a posição de titular, apenas gostaria de começar jogando em uma ou duas partidas pelo Milan. Nunca tive nenhuma discussão com o técnico ou com ninguém do elenco.?? Sobre a partida em si, Rivaldo achou a experiência positiva: ?Foi um jogo bom para o professor avaliar os jogadores, para nós ganharmos mais entrosamento e terminar o ano bem?. O meia Gilberto Silva também gostou do desempenho da seleção: ?Foi um jogo importante para o Parreira analisar os jogadores que atuam na Europa. Apesar de ter sido contra um adversário sem grandes responsabilidades?, reconheceu o jogador do Arsenal. O problema de se jogar contra um adversário que se fecha todo atrás, foi visto positivamente por Parreira: ?Eles ficaram na retranca, e vai ser assim nos próximos jogos. O Dida fez apenas uma defesa, no final.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.